Escolha uma Página

UM JOGO, UM GOL, UMA VITÓRIA

27 / maio / 2020

por Wesley Machado


Maracanã, 5 de agosto de 1979. O Flamengo tinha Zico, Júnior, Adílio, Tita, Júlio César, Cláudio Adão, entre outros grandes jogadores que marcariam época no Rubro-Negro. Era o começo da fase mais áurea do clube da Gávea, que enfrentaria o Americano de Campos dos Goytacazes pelo Campeonato Carioca.

– Antes do jogo a gente sabia que enfrentar o Flamengo no Maracanã com aquele timaço que jogava por música ia ser muito difícil. Entramos em campo com o time mais ou menos fechado. O técnico nosso era o Murilo, um ex-jogador do Flamengo que tinha a experiência de ter passado por lá e orientou a gente. O Flamengo com aquela maneira de jogar com domínio e toque de bola e a gente ficou envolvido o tempo todo, só que a bola não entrava. Nosso goleiro era o Paulo Sérgio (Botafogo e Seleção Brasileira). Adílson e Rubinho na zaga. A bola batia na defesa, Paulo Sérgio defendia e foi até o final desta forma! – conta o ex-jogador do Americano, Sérgio Pedro.

Ele descreve como fez um gol histórico e inesquecível, o da vitória de 1 a 0 do Americano de Campos sobre o Flamengo de Zico no Maracanã:

– Futebol tem dessas coisas. Eu consegui dar um drible curto em Rondinelli na entrada da área. Aí a bola caiu para a perna esquerda e eu chutei mal. A bola foi pererecando na reta do goleiro e de repente o Té entrou na frente, levou a bola pra a linha de fundo do lado esquerdo e eu continuei acompanhando a jogada. Ele ficou sem ângulo e, pressionado pelo goleiro Cantarelli, ele cruzou a bola pro meio da área, eu entrei com o gol praticamente vazio e, por incrível que pareça, eu toquei na bola com o pé direito, que é difícil até para subir no ônibus! – revela o ex-jogador do Americano.


Da esquerda para a direita – Em pé: Zé Carlos(depois foi para o Flamengo), Oliveira (foi para o Bangu), Totonho (https://www.museudapelada.com/resenha/totonho-impavido-alvi-anil), Ronaldo (Torres, virou preparado físico), Índio e Cesar. Agachados: Amarildo (chegou a jogar no Cruzeiro), Antônio Carlos, Maciel, Zé Roberto (Ex-Flamengo e Fluminense, Colaborador do Museu da Pelada) e Sérgio Pedro (Personagem da Reportagem).

– Aquele gol ficou na memória de muitos. Este gol, que a gente ainda recorda apesar de tanto tempo, foi até assim estranho. O lance do gol foi interessante. E a emoção da vitória foi incrível. A vitória foi um marco. Foi a primeira vitória no Maracanã daquele time pequeno. Que era assim que o pessoal chamava os times do Interior. E realmente a diferença era muito grande. Foi aquela vibração todo mundo no Maracanã. Repórteres que exaltavam esta vitória de impressionar. E depois também no vestiário. E até na cidade de Campos também. Esse gol todo mundo lembra por esse momento. Então a gente encontra hoje vários torcedores que quando me vêem lembram desse gol. Naquela época foi um feito relevante, que não foi esquecido! – lembra Sérgio Pedro, que escolheu encerrar a carreira de jogador de futebol aos 25 anos, com a sensação de dever cumprido, após realizar o sonho de ser aprovado no ano de 1985 em um concurso público. 

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.