Escolha uma Página

O ZAGUEIRO QUE NÃO DESAFINA

texto e entrevista: Eduardo Lamas | fotos e vídeo: Fernando Gustav

Onde Oberdan está, o sucesso é certo. Oberdan Nazareno Vilaín, 74 anos, é, desde os anos 80 um empresário extremamente bem-sucedido. É o presidente do Grupo JAN, que – entre muitos outros – tem como principal produto a Água Mineral Imperatriz. Mas antes e sempre será lembrado pelo grande público fã do futebol por ter escrito o seu nome na História de Santos, Coritiba e Grêmio, onde conquistou uma quantidade enorme de títulos e amigos.

Numa tarde ensolarada do fim de novembro ele nos recebeu em seu belo e recém-reformado apartamento no Centro de Florianópolis com a simpatia que já demonstrara nas conversas para o agendamento da entrevista. E não faltaram histórias, dos mais diversos tipos, ilustradas por um farto material fotográfico e jornalístico que mantém com muito carinho e cuidado em seu poder. As mais divertidas, sem dúvida, são as que viveu ao lado de Pelé, com quem jogou de 1965 a 1974. Mas, no Coritiba, onde começou e depois retornou na década de 70 para conquistar mais títulos, e especialmente no Grêmio, viveu também momentos muito especiais.


Na verdade, a conquista do título gaúcho de 1977 muitas vezes parece ser o mais importante da História do Grêmio, não sendo esquecida jamais por seus torcedores, mesmo por aqueles que nem eram nascidos na época. Também, o Inter havia conquistado os oito estaduais anteriores. E Oberdan foi para o Tricolor Gaúcho quando já se preparava para encerrar a carreira, graças a Telê Santana. E comandou a equipe em campo, anulando – como prometera assim que chegou – Escurinho, o terror gremista nos Grenais. É com emoção que ele revive as homenagens que recebe ainda hoje por causa daquela conquista.

Esta sensibilidade mostra que o zagueirão que não gostava de ficar fora de partida alguma e que era implacável com os atacantes adversários tem um coração enorme. E ele mostra nesta entrevista o seu lado romântico, tocando violão e cantando, e também uma certa timidez, pois relutou a aceitar o pedido para que mostrasse seus talentos musicais. Nesta eu consegui vencer o grande zagueiro, mas tenho certeza de que ele ficou feliz. Assim como eu, o cinegrafista Fernando Gustav, o motorista Vander Schons e todos que assistirem ao vídeo.