Escolha uma Página

POR QUE DESMERECER A COPA AMÉRICA?

29 / junho / 2021

por Fabio Lacerda


Como tudo na vida, sempre há razões para melhorar. A sociedade, o futebol, precisam dar exemplos. Desde os campeonatos regionais até os continentais de seleção. Simultaneamente, assiste-se a Eurocopa e a Copa América. No Velho Continente, o brilho de um campeonato recheado de craques, uma organização infalível e, principalmente, um modelo de competição que acirra a disputa no campo verde de batalhas memoráveis.

Na América do Sul, parece que a ‘Síndrome de Vira Lata’ volta à tona. A velha prática de menosprezar competições que estrangulam calendários faz o torcedor ser cético quanto à credibilidade e lisura das competições na América do Sul – Copa América. Não entraremos no campo da política televisiva e da Pandemia, já que a pelota está rolando desde o início do ano.

A América do Sul, analisada na obra de Bernardo Kliksberg, em ‘Desigualdade na América Latina – o debate adiado, Cortez Editora, com selo da Unesco, mostra uma série de mazelas sociais que estão diretamente ligadas a não prosperidade das populações. No prefácio, Klikberg cita que estudos realizados em países desenvolvidos na Europa identificam a América Latina como o continente ‘antiexemplo’ em relação à equidade social que infringem em impactos econômicos.

O futebol é uma ferramenta que você usa como um modelo de análise comportamental, já afirmada que é o espelho da sociedade. Precisa-se dar uma embalagem mais refinada ao futebol latino, em especial, no Brasil, maior país do continente com campos que possuem gramados de várzea. E uma arbitragem que dá cada vez mais vergonha nos campeonatos nacionais vendo ambas as competições continentais de seleções diante da tranquilidade dos árbitros em tomarem as decisões corretas.

Assim como na Europa, aqui, na América do Sul, estão os melhores jogadores latinos americanos do Hemisfério Sul. O grande problema é a organização da competição. Perde-se a credibilidade quando há dois grupos com cinco seleções sendo que quatro se classificam. Por que não classificar dois de cada grupo? Se quiser estender a competição, que faça um quadrangular. Caso contrário, semifinal e final.

Por outro lado, a Copa América vira um termômetro que pode estourar o mercúrio e deixar Tite passar a ser mais questionado em função de um futebol burocrático que depende de lampejos e boa vontade de alguns jogadores intocáveis do comandante que, apesar de poucas derrotas, enfrentou muito mamão com açúcar nos mais de 50 jogos à frente da seleção canarinho.

Enquanto muitos brasileiros, torcedores e jornalistas acreditam piamente e ‘exigem’ o décimo título da seleção – vale lembrar, vale ressaltar que o Brasil ficou 40 anos sem Copa América na época de ouro do nosso futebol – Uruguai e Argentina brigam pela hegemonia fazendo pensar quem vos escreve que ambos os países possam estar com mais gana.

A Celeste Olímpica, com 15 títulos, joga pela hegemonia na Copa América. Já a Argentina tem a chance de igualar o número de título dos uruguaios e, enfim, Messi ser campeão de uma competição internacional.

Gustavo Hoffmann, da ESPN Brasil, programa Futebol no Mundo, afirma com todas as letras que o Brasil é o melhor e o favorito no dia 28 de junho. Só que o Brasil enfrenta o Chile, última seleção bicampeã da Copa América, e uma seleção que vem sendo uma pedra no sapato do Brasil até em Copa do Mundo. A rixa com os andinos vem desde a Copa América de 1987, quando o Chile enfiou 4 a 0 no Brasil formado por alguns jogadores que figuraram no título de 1989, naquele gol inesquecível de Romário concluindo uma triangulação que envolveu Mazinho e Bebeto. Sem falar na encenação do goleiro Rojas no Maracanã com o rojão atirado por uma torcedora que, posteriormente, apresentou-se como veio ao mundo para uma revista para o público masculino heterossexual.

Não se assustem se o Brasil sucumbir diante de um Chile aguerrido e brigador. Sexta-feira, às 21h. Será osso! E uma eliminação vai colocar a seleção brasileira e a Confederação Brasileira de Futebol em maus lençóis. Será que o cabaré vai pegar fogo? Estou pagando para ver.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.