Escolha uma Página

PARABÉNS, RONALDO!

22 / setembro / 2020

por Mateus Ribeiro

Neste dia 22 de setembro Ronaldo Luís Nazário de Lima, também conhecido como Ronaldo Fenômeno, comemora 44 anos de vida. Para quem não se lembra, ele foi o último grande camisa 9 do hoje judiado futebol brasileiro. Ronaldo foi o último grande símbolo da época que o time da CBF colocava medo em algum adversário. Nenhum zagueiro queria marcar Ronaldo e nenhum goleiro queria ver aquele tanque de guerra vindo em sua direção.

Ronaldo, que para mim sempre será o Ronaldinho, sempre foi um monstro, desde o seu início no futebol profissional. Rápido, técnico muito esperto, aquele menino franzino já era um demônio em seus primeiros dias como jogador, como bem sabe o monstruoso goleiro Rodolfo Rodriguez, que comeu o pão que o diabo amassou na mão do “Menino Ronaldo”.

Com 17 anos, aquele menino franzino já havia sido campeão do mundo e tinha ido para a Europa. Além de dribles e gols, Ronaldo acumulou lesões, que poderiam acabar com sua carreira, caso ele fosse qualquer um. Porém, estamos falando de um dos maiores atacantes da história, que não desistiria fácil. Ronaldo não apenas continuou a sua caminhada, como se tornou campeão mundial e artilheiro da Copa do Mundo de 2002. Tudo isso, quando ainda tinha 25 anos.

Durante a sua carreira pela Europa, Ronaldo passou pelo  PSV Eindhoven, da Holanda e depois, conseguiu a proeza de jogar nos maiores clubes de Itália e Espanha: Inter, Milan, Barcelona e Real Madrid. Apesar de viver altos e baixos e brigar com a balança, ele nunca deixou de marcar gols.

Em 2008, a carreira de Ronaldo estava em baixa, mas ele ainda continuava sendo meu ídolo. Até que um dia, meu saudoso pai me disse que “…o Corinthians havia contratado o Ronaldinho”. Eu duvidei, até ver as notícias na TV. Lembro que fiquei feliz, incrédulo  e chorei muito, da mesma forma que choro agora enquanto escrevo este pequeno relato. Eu e meu pai adorávamos ver Ronaldinho jogar. E ao menos para mim, foi uma realização gigantesca ver a camisa 9 do meu time ter como dono um dos maiores centroavantes da historia.

Ele ficou pouco tempo, mas o suficiente para me fazer sorrir, chorar, gritar e ver um dos maiores de todos os tempos no meu time. A partir de 2009, pude falar frases como “eu vi Ronaldo no meu time”, “eu vi Ronaldo no estádio”, “eu vi Ronaldo sendo campeão pelo meu time”.  Isso me enche de orgulho e satisfação. E por mais que sua despedida tenha sido melancólica, foi legal saber que a última parada desse deus da bola foi o clube que eu torço desde o dia que nasci.

Neste dia, eu só posso parabenizar este craque e agradecer por tantos bons momentos. Seja com a camisa do Corinthians, seja com a camisa da Seleção. E quanto aos outros times em que jogou, nunca simpatizei com nenhum, porém, sempre dava um jeito de assistir, apenas para te ver jogar. 

Parabéns por mais um ano de vida e por protagonizar uma das maiores historias de superação do futebol mundial. Muitos anos de vida, Ronaldo, o último camisa 9 de respeito da seleção!

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.