Escolha uma Página

OS AMIGOS DA MANET

5 / maio / 2016

texto: Sergio Pugliese |  foto e vídeo: Guillermo Planel

Pode ser Uber ou amarelinho, não importa, adoro ouvir histórias de motoristas, suas reclamações, suas opiniões sobre política, temperatura, conquistas, violência, obras e comportamento em geral. Os caras passam o dia transportando todo o tipo de gente, acompanham as transformações da cidade, muitoooooos são formados e trocaram recentemente de profissão, ou seja, alguma pautinha sempre sai desses papos. No final, quase sempre tem troca de cartões e o início de uma nova amizade. Com o Henrique, do amarelinho, foi assim. Logo que me despedi de dois amigos e segui a corrida, ele abriu os trabalhos:

– Amizade é tudo, né parceiro?

– Amigos são mais importantes do que muitos parentes, com certeza!

– É isso! E estou vivendo um dilema justamente por isso…….. – disse, olhos fixos no espelho.

– Perdeu algum amigo?

– Minha mulher recebeu um convite para trabalhar em Londres, em hotelaria. Meu irmão mora na Europa há alguns anos…..

– Mas isso é bacana!!!!

– Claro, ruim não é, mas e como fica a minha resenha de domingo com os amigos da pelada?

Peraí, o cara subiu no meu conceito estratosfericamente em segundos!!!! Sabe aqueles medidores dos desenhos animados que explodem quando alguém dá uma martelada? Foi isso!!!!  

– Verdade, não sabia desse outro lado – comentei, semblante preocupado.

– Vi que são jornalistas, né? Por isso estou passando o meu ponto de vista.

– Mas lá deve rolar uma peladinha também – tentei amenizar.

– Cara, mas lá não vai ter um Orelha, um Marquinhos Diarréia, um Pedrinho Chuta-Chuta.

Verdade, pensei. Fazia todo sentido o seu coração amargurado.

– É, um Marquinhos Diarréia acho que não vai encontrar por lá, mas de repente um Peter Kick-Kick……


– KKKKKKK, mas é diferente. Não vai ter o churrasco no Trailer do Careca, nem as zoações. Eu, por exemplo, não sou o Henrique, mas o Hula ou o Zé Gotinha ou o Paralisia Infantil….

Ah, o bullying, pensei, realmente não faz parte do universo peladeiro.

– Aí é impossível, parceiro, Paralisia Infantil é imbatível. Já explicou isso para a sua mulher?

– Pirou? Isso ninguém entende, só nós mesmos…..

– Então seja o que Deus quiser!

– Isso, Deus é peladeiro, vai dar tudo certo!

Claro que antes de me despedir, trocamos cartões, anotei o endereço da pelada, Praça Manet, em Del Castilho, domingo, às 8h, e no fim de semana seguinte estava lá. Quando cheguei rolava Barcelona x Real Madrid, clássico espanhol em Del Castillo!!!! Sentiram a troca de Castilho por Castillo para “espanholar” ainda mais o clima? Casa cheia para prestigiar o Torneio Liga da Europa! O Henrique chegou marrento com a camisa do Arsenal e, pelo climão festivo, entendi sua tristeza em deixar tudo aquilo para trás. A outra certeza foi quando a bola rolou: sua desenvoltura em campo facilitou o meu entendimento sobre o “Paralisia Infantil”.

Valeu, Henricão!!!!!!!!!     

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.