Escolha uma Página

A ÚLTIMA VEZ FOI COM A CAMISA 7

20 / setembro / 2022

por Zé Roberto Padilha

A ultima vez que pisei no gramado do Maracanã foi em 1985. Jogava pelo Bonsucesso FC, tinha 33 anos e não contava mais com o auxílio dos meus meniscos da caneta boa, a esquerda, para continuar exercendo minha profissão.

Meus preparadores físicos pediam que nadasse, não treinasse no campo duro para sobrecarregar o joelho. E com aquele calor do subúrbio carioca, em Teixeira de Castro, imaginem o que o elenco reclamava enquanto aquele “folgado” realizava seu trabalho no parque aquático ao lado. A sorte minha, azar deles, é que abria a caixa e voava no domingo mesmo com duas hélices enguiçadas.

Paulinho Carioca (foto) jogava comigo e era muito parecido. No tamanho, no início da calvície e era ponta também. Só que do lado direito.

Quando enfrentamos, no Maracanã, o poderoso Fluminense de 85, cujo lado esquerdo tinha Branco, Tato e Assis, nosso treinador Denílson, o Rei Zulú, deixou o Paulinho, mais ofensivo, no banco, e me escalou com a camisa 7 para tentar marcar aquelas feras. Foi minha primeira, e ultima, experiência jogando do lado direito.

Fiz o melhor que pude, mas aos 43 minutos Branco se livrou desse “pentelho” e cruzou para Assis abrir a contagem. No intervalo, Denílson agradeceu minha colaboração e me substituiu pelo Paulinho. Louco ou corajoso, resolveu sair para o jogo.

Mudei de roupa e fui encontrar meus pais, que foram de Três Rios até lá ver seu filho jogar. E depois visitar o Bruninho que acabara de chegar. Ao me aproximar, vi meus pais batendo boca. Diminui o suficiente para não intervir. E seu Zé Roberto, bravo, esbravejava;

– Você, Janet, não sabe nada de regras. Aonde já se viu um jogador começar com a camisa 7 e voltar com a 16? Tem súmula que eles assinam!

E minha mãe, confiante, afirmava:

– Posso não conhecer de regras, mas que mãe não conhece seu filho? Aquele lá é o Robertinho…

Quando me viram, meu pai abriu um sorriso e minha mãe ficou branca. Na dúvida, reforcei a tranca da porta. Morava em Jacarepaguá. Vocês sabem, quem enganou até a mãe…

Obs. Na foto, contra o Corinthians. Paulinho em uma ponta, eu na outra.

4 Comentários

  1. Pedro Mayall

    Grande Zé Roberto, ótimo jogador, excelente figura humana. Que saudades daquelas tardes de sol e festa no Maracanã!

    Responder
  2. Paulo Abreu

    Com certeza, esse Flamengo X Corinthians aí da foto foi no Morumbi!!! Mas em q ano??? Provavelmente foi em algum Campeonato Brasileiro da década de 70.
    EM PÉ: Cantarele, Junior nos áureos tempos do seu “capacete”, Rondinelli, Jayme, Vanderlei Luxemburgo e, talvez o Merica.
    AGACHADOS: Só reconheci o Zico e vc Zé Roberto.

    Responder
    • José

      Caio, Tadeu,Zico, Paulinho e Zé Roberto.

      Responder
  3. Valter

    Grande jogador Zé Roberto, fez parte da primeira Máquina Tricolor em 1975, barrando nada mais, nada menos que o Mário Sergio, contratado a peso de ouro pelo Horta.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.