Escolha uma Página

Treino

UM SÁBADO À TARDE EM LARANJEIRAS EM 70 E POUCOS

por Ricardo Dias


– Flavio, quem é o peixe do dr. Silvio?

– Aquele loirinho ali.

– Meu filho, vem cá. Teu nome… Ok. Vai para aquele canto ali bater bola na parede. Quem mais é primeira vez? Você, você, você…

– Eu sou segunda vez, professor.

– É a mesma merda, quem ainda não tá dentro é primeira vez. Tu é muito grande, não quer ser goleiro, não? Ponta direita desse tamanho, tá maluco? Sabe fazer embaixada? Quantas? Tá, vai jogar de 8. Os novos vão tudo pra lá. Vão batendo bola, porra, moleque, de tênis? Vai procurar uma chuteira! Pessoal, olha só: ninguém dá porrada no loirinho, é peixe, não deve jogar porra nenhuma. Se jogar bem pode porrar, de leve, mas eu duvido. Aquela chuteirinha cara não me engana. TODO MUNDO AQUI NO MEIO! Vai ser os antigos contra os novos. Se os novos ganharem tá todo mundo aprovado, se perderem vão embora sem banho. Isso é hora de chegar, Palito? Vem cá, quero te sentir bem pertinho. Fala pra fora, porra. Ah, cacete, bafo de cerveja de novo! Essa merda de botequim que serve bebida pra dimenor! Bota a chuteira e sobe e desce as arquibancadas correndo, até sumir o bafo todo. Antes de começar, gordinho, vem cá. Qual é teu nome? Você vai jogar de 6, tá vendo aquele mulatinho ali, de joelho torto? Quando ele estiver perto de você dá um cacete nele. Se ele passar do teu lado, enfia o pé.

– Pra que isso, Faria?

-Porra, Flavio, tem uns portugueses que vêm ver o Neném, aquele puto só joga quando fica com raiva. Esse gordinho não vai dar nem pra saída. É um dinheirinho que entra pro clube. FALTA NADA, Neném! Levanta e joga, deixa de ser frouxo! Ô retardado, não sabe matar bola, não? Pára tudo, vem cá. Vou bicar a bola pra cima, tem que matar de primeira, senão tá fora. Tá, outra chance. Viu?, se sabe, faz, pombas! Falta! Bate você, Amauri. Putaquepariu, não aprendeu nada ainda? Vem cá, seu bosta! Sabe aquela bola que tua avó tem em cima do dedão do pé? Chama JOANETE! É ali que tem que bater na bola, Flavio, me dá um pedaço de esparadrapo. É aqui, tá vendo, tem que pegar aqui!


– Olha seu Jair ali!

– Seu Jair, por gentileza, pode chegar aqui no campo? O senhor podia demonstrar a esses bostas como se bate na bola? Pra que chuteira, vai descalço mesmo, ô Amauri, olha pra essa porra, ISSO é joanete! Flavio, pega a barreira de lona, se esse homem acerta um dos garotos, mata.

-Ô Faria, eu lá sou de acertar em barreira? É gol ou trave! Deixa os garotos!

-Tá bom (mas cuidado, não vai me acertar o loirinho!). Olha aí, tão vendo? É assim que faz. Ô goleiro, ao menos finge, se mexe, ficar parado não adianta. Já vi que esse treino não vai dar certo hoje. Bota a barreira de lona, Amauri, vai bater falta até não conseguir pisar no chão. Reveza com o Genaro e o Paulão, Paulão, nada de colocar bola, tu só serve pra dar cacete. Não precisa de goleiro, pendura a camisa na trave e tem que acertar nela. Os beques, todo mundo fazendo linha de passe e contando, só acaba quando chegar em 100. Gordinho, mandou bem, mas aprende a fechar as pernas. Loirinho, tem futuro! Comprido, tu parece cego, ah, tá sem óculos… Olha o que me aparece aqui… Galera da primeira vez, vamos fazer o seguinte: reveza, um lança, o outro devolve de primeira para chutar em gol. Até o pé inchar. Goleiro, é pra enfiar a cara na bola, não pode entrar de jeito nenhum. Os outros titulares, aqui do meu lado. Vai todo mundo correr em volta do campo com o Alvaro. Vocês andam muito frouxos, semana que vem tem jogo treino em São Cristóvão. Na hora que defender pro lado do paredão tem que ser sem dar porradão, que se isolar na rua vai ter que pagar. Não adianta correr pra pegar que fica um monte de marmanjo lá pra roubar as bolas. Você também, Neném, deixa de preguiça.

-Faria, olha lá…

-Porra, Palito, tô vendo a garrafa debaixo da camisa, babaca! Vai subir e descer essa porra até fechar o clube, seu merda!

TREINO INESQUECÍVEL

por Antonio Carlos Ferreira da Costa


Recentemente, em homenagem ao aniversário de 63 anos de Paulo Roberto Falcão, publicamos uma imagem do craque durante a Copa de 1982 na nossa página do Facebook. Para nossa surpresa, recebemos um comentário de Antonio Carlos Ferreira da Costa, ex-jogador do time de juniores do Flamengo, que recordou o dia em que a base rubro-negra foi convidada para treinar contra a seleção brasileira no Maracanã.

Era dia 6 de maio de 1981, quando Telê Santana, técnico da seleção brasileira, convidou um grupo de jogadores da base do Flamengo para treinar com aquele timaço que se preparava para a Copa de 82. Tive a oportunidade de participar daquele treino e me deu até raiva! Tentei marcar o Falcão, mas o cara era surreal.

Além do “Rei de Roma”, a seleção ainda contava com Leandro, Oscar, Luizinho, Júnior, Cerezo, Sócrates, Zico, Reinaldo e Éder! Uma verdadeira covardia, que timaço! Foi um dia inesquecível não só para mim, mas para todos os meus colegas do Flamengo, pois enfrentamos uma das melhores seleções de todos os tempos, mesmo sem ter conquistado aquela Copa do Mundo.


Embora tenha sido muito prazeroso, aquele treino também foi muito desgastante. Além dos jogadores da seleção serem muito superiores, Telê Santana havia pedido para que a equipe do Flamengo fizesse marcação sob pressão, para dificultar a saída de bola daquele timaço! Nosso time até tentou, mas marcar aquelas feras era complicado demais e terminamos a atividade bem mais cansados do que eles.

O lance que mais me chamou a atenção nessa partida, sem dúvidas, foi uma matada de bola do Falcão! Após um bate-rebate na área, a bola subiu, subiu, subiu.. e o craque, com toda sua classe e elegância, dominou com o pé, sem deixar ela cair no chão. Todos ficaram perplexos com a genialidade do Rei de Roma!