Escolha uma Página

The English Game

THE ENGLISH GAME, A SÉRIE PARA QUEM GOSTA DE FUTEBOL

por André Luiz Pereira Nunes


Uma boa dica para quem está sofrendo com a abstinência de futebol em tempos de pandemia é The English Game, uma produção original do Netflix. Idealizada por Julian Fellowes, mesmo autor de Downton Abbey, a trama promove uma eficiente mescla entre luta de classes e os primórdios do popular esporte bretão. 

Dividida em seis episódios de cerca de 50 minutos, a série aborda o embrionário crescimento do futebol em meio ao conflito entre clubes da elite e agremiações operárias. O enredo tem início em 1879 e se centra na rivalidade de Fergus (Kevin Guthrie), um pobre operário nascido em Glasgow, e Arthur Kinnaird (Edward Holcroft), abastado lorde do sul da Inglaterra. 

Para quem é apaixonado por futebol, é interessante constatar como eram os jogos naqueles tempos. Os uniformes não tinham numeração, a bola de capotão era pesada e a ausência de regras, redes e organização tornavam as partidas muito similares às peladas de rua atuais. Nesse ínterim, recheado de dramas pessoais, surgem os dois primeiros atletas profissionais, cujos talentos estarão a serviço de quem se dispuser a pagar por eles, fato que gerará intenso conflito em meio a abastados que jogavam por prazer e humildes que atuavam por paixão. Para disputar as quartas de final da Football Association Challenge Cup, James Walsh, proprietário do Darwen FC, agremiação composta por operários, resolve contratar profissionalmente dois reforços, medida que irá contra as regras da Copa e enfurecerá os Old Etonians, time adversário composto por integrantes da alta sociedade.

Apesar da narrativa girar em torno do futebol, The English Game reúne características de drama histórico com algumas pinceladas de ficção, permeado pela conjuntura histórica de uma Inglaterra duramente dividida entre classes no final do século dezenove.

A VERDADEIRA HISTÓRIA DOS CRAQUE DA SÉRIE “THE ENGLISH GAME”

por Jorge Eduardo Antunes


Febre entre os amantes do futebol, que estão em crise de abstinência por falta de bola rolando, a minissérie “The English Game”, produção da Netflix, romanceia a história dos escoceses Fergus Suter e James Love, provavelmente os dois primeiros profissionais do esporte. Mas é o historiador Andy Mitchell que joga luz sobre a verdadeira história da dupla, que trocou o Partick pelo Darwen em 1878 para começar uma revolução mundial no esporte. 

Em seu excelente site Scottish Sport History, em duas diferentes postagens, ele conta que a conexão entre Partick e Darwen começou antes da chegada da dupla, mais precisamente com William Kirkham, jogador nascido em Darwen (Inglaterra), em 1854, e que foi trabalhar em Partick (Escócia), como misturador de cores na indústria têxtil. Lá se tornou também fundador do Partick em 1875. Anos depois, ao retornar à cidade natal, juntou-se ao Darwen, iniciando um relacionamento entre os dois clubes.

Por conta disso, entre 1876 e 1880, o Partick enfrentou o Darwen cinco vezes, com três vitórias – duas por 7 x 0 –  e duas derrotas. No mesmo condado, jogou com o Blackburn Rovers (duas vitórias e uma derrota), o Bolton & District (um empate) e o Turton (uma vitória). Entre esses anos, Love e Suter aportaram por lá. Mas, diferentemente do que mostra a minissérie, os dois não saíram juntos do time escocês para jogar em Darwen, cidade no condado de Lancashire, a 320 quilômetros de distância de Glasgow. 

Jimmy Love foi o pioneiro. Dono de um negócio de limpeza de ruas em Partick, distrito de Glasgow, ele também jogava no ataque do time. Em outubro de 1878, sua empresa quebrou. Love foi citado em ação de falência e teve a prisão decretada por não comparecer às audiências. Mas nunca foi preso. Na mesma época, já estava em Darwen, como jogador. Tinha feito amigos lá no encontro Darwen 3 x 2 Partick, em 1° de janeiro de 1878. 

Na época, Fergus Suter, pedreiro como seu pai, era um dos grandes jogadores do Partick, onde atuava desde 1876. Mas no mesmo outubro de 1878, a quebra do City of Glasgow Bank levou o construtor Peter McKissock a demitir seus empregados. Suter, aos 21 anos, provavelmente era um deles. Sem perspectivas de trabalho, teria escrito para Love, em busca de uma vaga no Darwen. Chegou na cidade e atuou como pedreiro por breve tempo, logo passando a sustentar-se apenas com o futebol, antes mesmo de o profissionalismo ser admitido.

Suter só estreou pelo Darwen em 30 de novembro de 1878. Uma semana depois, ele e Love fizeram seu début na tradicional FA Cup (para nós, Copa da Inglaterra), no 0 x 0 com o Eagley, em 7 de dezembro– time eliminado no jogo-desempate de 21 de dezembro de 1878, após Love, Suter e cia aplicarem um sonoro 4 x 1. A campanha da equipe de Lancashire foi longe naquela competição. Em 30 de janeiro de 1879, o Darwen venceria o Remnnants por 3 x 2 e venderia caro a eliminação nas quartas de final para o tradicional Old Etonians, time formado por ex-alunos do Eton College. Foram três encontros: o 5 x 5 retratado na minissérie, seguido de um 2 x 2 e da vitória por 6 x 2 do Old Etonians – que também é mostrada.


Ao contrário do que mostra a minissérie, a dupla seria desfeita em 1879. Love jogou algumas vezes pelo Darwen, mas deixou o clube em outubro, após a derrota para o Haslingden, pela Lancashire Cup. Em 10 de janeiro de 1880, atuou pelo Blackburn Rovers contra o mesmo adversário, naquela que foi, provavelmente, sua última partida de futebol. A minuciosa pesquisa de Andy Mitchell descobriu a trajetória de Love depois disso. Ele se alistou no corpo de fuzileiros navais em Liverpool, no dia 24 de fevereiro de 1880. Como cabo, embarcou para o Egito, em 1882, para controlar uma revolta nacionalista em Alexandria. Ali ele contraiu febre tifóide e morreu aos 24 anos, em um hospital militar de Ismaília. Foi enterrado no cemitério de Tel-el-Kebir.

Consultor da série, apaixonado pela história do esporte e autor de vários artigos, Mitchell afirma que “Jimmy Love foi pioneiro no futebol e, embora Fergie Suter seja frequentemente descrito como o primeiro profissional, devemos reconhecer que Jimmy esteve lá primeiro”. Se não foi o pioneiro, Suter teve mais sucesso e se tornou o capitão do Darwen, a rigor quem definia o estilo de jogo e a formação tática das equipes, a partir da temporada 1879/80. 

No meio de 1880, trocou o time pelo Blackburn Rovers. A equipe de Darwen acusou os rivais de aliciarem seu craque, mas não havia provas disse e nenhuma vontade da Football Association (a federação inglesa) para averiguar o caso, pois o mesmo clube era suspeito de pagar a Suter – que, segundo a pesquisa de Mitchell, também tinha outro motivo para mudar de ares: a gravidez de uma criada na mesma época. No Blackburn Rovers, ele teve destacada carreira como jogador profissional. Foi finalista da FA Cup em 1882 e acabou por vencer a competição em 1884, 1885 e 1886. Também atuou no primeiro campeonato da Liga Inglesa, em 1888. Suter parou um ano mais tarde. Morreu em 1916, aos 58 anos.

 

Não deixe de ler os posts de Mitchell, que também foi, por dez anos, chefe de comunicação da Federação Escocesa e consultor do Museu Mundial de Futebol da FIFA:

 http://www.scottishsporthistory.com/sports-history-news-and-blog/from-partick-with-love-the-story-of-jimmy-love-and-fergie-suter-the-first-professional-footballers

http://www.scottishsporthistory.com/sports-history-news-and-blog/the-true-story-of-jimmy-love-the-very-first-scotch-professor