Escolha uma Página

Rivaldo

O CRAQUE DO BRASIL EM 1994

por Luis Filipe Chateaubriand


Em 1992, Rivaldo jogava no modesto Mogi Mirim.

Se destacava muito com a camisa do clube do interior paulista.

Em 1993, foi emprestado ao Corinthians, mas não rendeu no clube mosqueteiro o esperado.

Então, em 1994, foi vendido pelo Mogi Mirim para o Palmeiras.

Rivaldo chegava a um time recheado de craques, como Edmundo, Edílson, Rincón, Evair, Zinho e companhia.

Chegava cheio de gana, por não ter dado certo no Corinthians, para fazer acontecer no seu maior rival.

E fez acontecer!

Passes precisos, açucarados, surpreendentes.

Dribles desconcertantes, enviesados, não esperados.

Gols de dentro da área, de fora da área, diagonais, frontais, rasos, altos, de todos os tipos.

Por isso, Rivaldo foi o craque do Brasil em 1994, construindo o caminho para ser, adiante, o melhor jogador do mundo! 

Luis Filipe Chateaubriand é Museu da Pelada!

RIVALDO, O INJUSTIÇADO

por Luis Filipe Chateaubriand


Rivaldo Vitor Borba Ferreira, o Rivaldo, é um dos maiores jogadores de futebol de todos os tempos.

Um de seus maiores feitos, dentre outros, é o de ter conseguido ser o melhor jogador da Seleção Brasileira em duas Copa do Mundo – as de 1998 e 2002.

Algo que nem Pelé conseguiu.

Então, Rivaldo merece respeito, muito respeito, pela carreira fora de série que construiu.

Infelizmente, não é valorizado como merece.

Em parte, o próprio Rivaldo é responsável por isso.

Tímido, circunspecto, arredio, não fazia e não faz marketing pessoal.

O outro motivo é devido a gente preconceituosa, que não reconhece seu futebol exuberante pelo fato dele ser nordestino.

Ora, o fato de ser nordestino deveria valorizá-lo, ao invés de desmerecê-lo: venceu na vida mesmo vindo de uma região pobre, mas um lugar de gente valente, que vai à luta.

Por isso, é preciso afirmar: Rivaldo é craque para mais de metro, e merece aplausos!

Luis Filipe Chateaubriand é Museu da Pelada

RIVALDO, O ÚLTIMO CAMISA 10 ROMÂNTICO

por André Felipe de Lima


Pelé foi categórico: Rivaldo está na lista dos 125 maiores jogadores vivos do mundo. Foi ele o último camisa 10 romântico do futebol brasileiro. Jogador igual ao Rivaldo hoje em dia? Não vislumbramos nem mesmo com bola de cristal.

Na Seleção Brasileira? Foi ídolo dos maiores do panteão de craques memoráveis. No Palmeiras? Sensacional. No Barcelona? Simplesmente o maior do mundo em 1999. O Bola de Ouro. O Rivaldo dos gols mágicos, inigualáveis. Foi vestindo a camisa azul e grená que Rivaldo mais brilhou. Marcou pouco mais de 130 gols em cerca de 230 jogos.

Como o próprio Rivaldo discursou, em sua despedida dos gramados, em março de 2014, sua linda carreira foi construída sem romantismo. Superou muitos obstáculos, desafios, renúncias, saudades e decepções, mas ergueu-se sempre. Sobretudo com alegrias, conquistas e profundas mudanças. Ora ensinando, ora aprendendo na roda da vida. Rivaldo, como ele mesmo definiu sobre si, jamais perdeu o foco: “Entre troféus, medalhas, premiações e títulos, em uma terra onde tudo se consome, deixo aqui uma história, talvez um exemplo, mas com certeza um testemunho de que vale a pena crer e lutar.”

Nesta quarta-feira, 19, é aniversário do grande meia campeão da Copa do Mundo de 2002. A nós, simples e humildes mortais, só resta uma coisa a fazer: agradecer ao cidadão recifense Rivaldo Vítor Borba Ferreira por tudo o que fez pela história do futebol brasileiro. Por manter viva em nossos corações a magia da camisa dez!


RIVALDO SUPERA INIESTA

Como tem acontecido, a disputa entre Rivaldo e Iniesta foi decidida nos últimos votos, com belos comentários e análises pertinentes. O brasileiro, no entanto, superou o espanhol e foi eleito o craque da semana! Veja belos lances do craque no vídeo!