Escolha uma Página

Pep Guardiola

GUARDIOLESES

por Rubens Lemos


Pretensioso incorrigível, o brasileiro é pedante no futebol sem aceitar a verdade. Arrogantes sempre foram os adversários, ousados intrometidos querendo ganhar do time de Pelé. A rivalidade com a Inglaterra vem da besteira de que um inventou o esporte e o outro aprendeu e tornou-se bem melhor, o melhor do mundo.

O Brasil hoje é um país comparável a México, Bélgica , Argentina, Suécia, Uruguai, Portugal (Com CR7 em declínio), Croácia, Moldávia (exagero meu), jamais no pelotão de frente com França, Alemanha, Holanda, Espanha, Itália e a Inglaterra. Os ingleses que criaram o jogo e, na malícia latina, ficaram apenas com o direito de vê-lo, estão mandando na bola mundo afora.

A decisão da Champions League entre o Manchester City e o Chelsea, clássico bretão, confirma a supremacia de um país que se encheu de craques, de ótimos técnicos e vem apresentando futebol sem aqueles tradicionais chutões e chuveirinhos que tanto detonávamos.

O Manchester, do monstruoso Pep Guardiola, está liquidando os concorrentes com requintes perversos. Toma um gol e fica no toque-toque ou Tike-Taka, a maravilha revolucionária do Barcelona de Guardiola e Messi.

E, no Manchester, Guardiola não tem Messi. É um jogo cíclico. Pode começar na falsa aparência de monotonia e, de repente, marchar e tricotar os onze do outro time cortando-os em deslocamentos de tesoura afiada.

Vou torcer por Guardiola, que entende o futebol como espetáculo, como uma peça de teatro ou um filme épico no cinema. O torcedor paga e só não entra de smoking para ver, nos pés dos guardioleses, o que resta de beleza pragmática em campo gramado.

Guardiola amava a seleção brasileira de 1982 e inspira seus times na habilidade giratória do esquadrão de Telê Santana. Guardiola lembra mais daquela seleção do que qualquer fanático nacional.

Estudou, reviu partidas e montou seu esquema, que invejosos acreditaram terminar na sua separação profissional de Messi. Guardiola tem tudo para vencer a Champions. Sábio, Guardiola não quer com ele tipos do tipo Valdir Peres, Cerezo e Serginho Chulapa, aberrações que Telê nos fez engolir na pirraça.

CRAQUE DA SEMANA

De lavada!! No duelo de laterais, Roberto Carlos superou Marcelo com facilidade e foi eleito o craque da semana!! Além da força física e a facilidade para cobrar faltas, pesou o fato do ex-jogador ter disputado três Copas do Mundo, tendo vencido uma!