Escolha uma Página

Dirceu

DIRCEU, O QUE PARTIU CEDO

por Luis Filipe Chateaubriand


Dirceu José Guimarães era um ponta esquerda, que também exercia a função de meia, dono de um fôlego invejável.

Era este preparo físico, aliado à boa técnica, que o fazia se destacar nos clubes que passou e, na Seleção Brasileira, o fez disputar nada menos do que três Copas do Mundo (1974, 1978, 1982).

Começou a jogar no Coritiba, depois no Botafogo, depois no Fluminense, depois no Vasco da Gama (onde mais se identificou, no Brasil).

Então, começou sua carreira internacional no América do México, depois no Atlético de Madrid e, em seguida, em uma série de clubes italianos, com destaque para o Napoli de Diego Armando Maradona.

Chegou a retornar ao Vasco da Gama, mas, ato contínuo, retomou sua carreira internacional.

Acumulou glórias – como a de ser o terceiro melhor jogador da Copa do Mundo de 1978 – e dinheiro e, aos 43 anos de idade, ainda jogava profissionalmente.

De forma triste e lamentável, nesta idade sofreu um acidente de automóvel na Barra da Tijuca, que lhe custou a vida.

Será sempre lembrado pela bola que jogou!