Escolha uma Página

E SE TODOS FOSSEM IGUAIS A VOCÊS?

22 / março / 2022

por Eliezer Cunha


Sou de uma geração em que se dizia; falta na entrada da área é pênalti. E Pênalti era sinônimo de gol certo. Bola em um dos cantos e o goleiro magicamente acertando o lado ou não, nem chances tinha. Tínhamos jogadores que não faziam mais que o óbvio, treinar, treinar e treinar. Converter em gols os fundamentos necessários para que a bola se acolhesse no fundo das redes. Goleiros, figuravam-se e os narradores já reservavam sua voz para a validação final, Gol. Os marcadores dos placares eletrônicos ou não, já se antecipavam ao novo placar da partida. Zico, Roberto, Dicá, Sócrates e companhia cumpriam o básico papel de um batedor: bola nas redes. Os tempos passaram e os fundamentos infelizmente também.

Hoje não existe mais distinção entre os times grandes e os pequenos no momento de uma decisão por pênalti. Ainda me arrisco a dizer que os times de menor expressão possuem um desempenho melhor que os demais, lógico,  pois é neste momento que tudo se igualam perante o arco e os fundamentos se sobressaem. Neste momento decisivo treinamentos e dedicação fazem a diferença. Temos aí então a chances necessárias de vitória de uma equipe de menor poderio.

Com certeza os times menores estão se aperfeiçoando cada vez mais neste quesito para se superarem frente aos times grandes. Isso se chama estratégica. Algumas cobranças são verdadeiras aberrações contra os fundamentos básicos para uma boa cobrança.

Com cada vez mais a ineficiência dos ataques perante as defesas adversárias, as decisões das partidas, de uma vaga ou até de um campeonato por pênaltis estão pesando nos resultados.

A bola continua rolando…, mas é, a bola parada que ainda pode estar decidindo.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.