Escolha uma Página

DOM EVARISTO – LENDA VIVA DO FUTEBOL

17 / maio / 2022

por Elso Venâncio

Evaristo de Macedo é uma das lendas vivas do futebol. Foi o primeiro brasileiro a ter superdestaque na Espanha. Jogou com craques antológicos. Idolatrado pela torcida e pela imprensa do Velho Mundo, sagrou-se bicampeão da Liga de Futebol Profissional pelo Barcelona (1959/1960). Nas decisões, enfrentava o poderoso Real Madrid de Di Stéfano, Kopa, Didi, Puskas e Santamaria.

Pouco depois, pelo próprio Real, entre 1962 e 1964, teve a seu lado algumas dessas feras, como Di Stéfano e Puskas, além do ponta-esquerda Gento. A grande fase desse ídolo, contudo, deu-se mesmo no Barça. No time da Catalunha, estreou ganhando a Taça do Mundo de Caracas, em 1957, com direito a dois gols sobre o Botafogo de Garrincha, Nilton Santos e Cia, na decisão. Além do bi conquistado em 1959/60, faturou outro: o da Taça da Cidade de Feiras, que corresponde à Liga da Europa.

Dois times, porém, marcaram a trajetória de Evaristo. O Flamengo tricampeão carioca e o Barcelona do final dos anos 50 e começo dos 60. No Rubro-Negro, jogou com Rubens e Dequinha, além do grande Dida, e também com Índio, Paulinho de Almeida e Zagallo. Sem falar dos paraguaios García, um gigante no gol, e o artilheiro Benítez. Com esses craques nasceu o histórico tricampeonato de 1953/54/55, que representou a maior façanha de um clube nos primeiros anos de vida do Maracanã.

Nosso personagem foi também o único de toda a História a marcar 5 gols com a camisa da seleção brasileira em um único jogo, e gosta de contar que, se não fosse vendido para o exterior, Pelé não jogaria em 1958 pois ele seria o titular. Na época, eram convocados apenas jogadores que atuavam no país, ao passo que Evaristo já brilhava no Velho Continente.

Treinador por mais de três décadas, pude acompanhá-lo de perto em suas três passagens pelo Flamengo. E também em 1985, quando dirigiu a seleção pouco antes das Eliminatórias para a Copa do Mundo do México. Campeão Brasileiro pelo Bahia em 1988, e da Copa do Brasil pelo Grêmio nove anos depois, em relação a Estaduais faturou títulos com os mesmos Grêmio e Bahia, além de quatro canecos pernambucanos com o Santa Cruz, de Recife.

Nessa função, ganhou seu primeiro troféu comandando o América, em 1967. O time rubro ganhou do campeão uruguaio Nacional, de Montevidéu, por 1 a 0 – gol do craque Edu, irmão do Zico. O jogo valeu pela decisão do Torneio Internacional Negrão de Lima, que o próprio Negrão, então prefeito do Distrito Federal, fez questão de entregar pessoalmente o troféu ao capitão Alex.

Evaristo de Macedo Filho nasceu em 22 de junho de 1933. Prestes a completar 89 anos, em suas caminhadas matutinas por Ipanema é sempre parado por amigos e torcedores, para falar de futebol. Iniciou sua carreira no Madureira, onde ficou de 1950 a 1952. No Flamengo foram quatro anos – de 1953 a 1957. Vendido ao Barcelona, jogou meia década pelo clube catalão (1957/62). Nos seus últimos tempos na Espanha, honrou a camisa do Real Madrid entre 1962 e 1964). Na volta, quis encerrar a carreira no seu clube do coração, o Flamengo, onde atuou de 1964 ao começo de 1966.

  • Colaborou Péris Ribeiro (escritor)

8 Comentários

  1. Mario Perrotta

    Tive a felicidade de jogar”peladas” c ele no TTC . Torneios ainda c Vavá,Zagallo,Jair Rosa P.,Décio Crespo… tá bom assim, só monstros sagrados.

    Responder
    • Demosthenis

      Antigamente era o certo: bi, tri, tetra, etc, era quandoconquistavam esses títulos consecutivamente e não como agora. Que ganham um título fez anos após o primeiro e dizem que são bi-campeoes.

      Responder
    • Nilson Graca

      Na verdade uma lenda eu ainda criança tive o prazer de vê lo jogar. Saudades.

      Responder
    • Celso Rosas

      Perrota! Bons tempo do campinho de terra do nosso TTC, joguei com vc!

      Responder
  2. Mario Perrotta

    Tive a felicidade de jogar peladas e torneios no T TC c ele, Vavá, Zagallo, Jair Rosa P, Décio Crespo só monstros sagrados… tá bom assim.

    Responder
  3. João Carlos Matos

    Só em tê-lo conhecido e ter tido o privilégio de conviver com ele , pois é pai do meu parceiro Luiz Augusto, que jogava pelada, junto comigo , no Clube Federal , já sinto-me abençoado. Forte abraço.

    Responder
  4. Ronald de Carvalho

    Mestre Evaristo transcendeu também na carreira de treinador. Treinadores dirigem suas equipes; ele simplesmente construiu o futebol de uma nação. Qatar! Sou testemunha viva. Estava lá, ao lado dele. Privilégio da vida te-lo como Amigo e Mestre. Gratidão eterna. Um legado extraordinário de contribuição ao futebol mundial. A maior lição: respeito absoluto ao futebol.

    Responder
  5. Gustavo Carvalho da Silva

    Evaristo Macedo, foi treinador do Fluminense de Feira nos idos de 1971, tendo conseguido ser vice-campeao baiano..Foi uma grande honra tê-lo em nossa cidade!

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.