CORRIDA CONTRA O TEMPO

por Fabio Lacerda

Todo artilheiro carrega consigo um peso às costas. Quando está brigando pela artilharia é natural que o clube que ele defende esteja almejando as primeiras colocações dos certames. Dizem que ser goleiro é a pior posição em campo porque uma falha compromete a performance individual, coletiva e coloca em risco o êxito do time. Mas quem escolhe jogar de centroavante abraça a causa coletiva e individual. 

Golaço de Fred na saída de bola

Fred desencantou no Brasileiro depois de cinco rodadas. Artilheiro solitário na vitória sobre o Avaí, no Independência, jogo válido pela quinta rodada. Artilheiro por três vezes do principal campeonato do país, autor do gol mais rápido do mundo quando ainda era juniores do América-MG, este moço faz valer o jargão das Alterosas: mineirinho come quieto para comer mais! 

Único jogador do país que pode ser artilheiro do Campeonato Brasileiro por quatro vezes, Fred também está na cola de Romário na Copa do Brasil. O Baixinho é o maior artilheiro da segunda competição mais importante do país com apenas três gols à frente do goleador de Teófilo Otoni - 36 contra 33. Fred é o maior artilheiro da Copa do Brasil numa única edição com 14 gols marcados pelo Cruzeiro em 2005.

No seleto e restrito grupo de artilheiros por três vezes do Brasileiro, Fred está lado a lado de Dario "Peito de Aço", o único jogador que parava no ar como helicóptero e beija-flor, Túlio, o artilheiro irreverente que era frio como um iceberg à frente do gol, e Romário que cravou seu nome no lugar mais alto da tabela de artilheiros já veterano (primeira vez que foi o maior feitor de gols em Brasileiro ele tinha 34 anos em 2000). 

fred 3.jpg

A ida de Fred para a França defender o Lyon em 2005 até 2009 afastou o artilheiro de cinco edições do Campeonato Brasileiro. O que isso quer dizer? Muita coisa! O atacante foi viver numa das cidades mais belas da França, cuja gastronomia é uma referência mundial. Mas o camisa 9 à moda antiga poderia ter comido a bola por aqui. Sua ida ao Lyon traçava uma sequencia de títulos nacionais, porém, a chance de ganhar uma Liga das Campeões ou uma Copa da UEFA, agora chamada de Europa League, era inimaginável diante dos gigantes do Velho Continente. E esse hiato de cinco anos no Brasil o coloca diante de um desafio: fazer mais 63 gols nos próximos três ou quatro anos para tornar-se o maior artilheiro e superar Roberto Dinamite com 190 gols, honraria esta que o "camisa com cheiro de gol" sustenta desde 1989. Provavelmente, o atacante do Atlético-MG tenha se deparado com essa informação após quem vos escreve ter entrado em contato com sua assessoria de imprensa para escrever ao MUSEU DA PELADA. Espero ter aguçado esse desejo e desafio no atacante do Leste de Minas, região esta que carrego no meu coração pelo fato de meu pai ter nascido no Vale do Aço e ter chegado ao Rio de Janeiro aos 14 anos. 

fred 4.jpg

Fred chegou a 128 gols na história dos Campeonatos Brasileiros - 13 gols pelo Atlético-MG, 91 pelo Fluminense e 24 pelo Cruzeiro - deixando Serginho Chulapa para trás. Ainda neste Brasileiro, Túlio com 129 gols, e Zico, com 135, serão superados. Se os próximos quatro anos contando com a competição em andamento o Fred tiver uma média de 15,5 gols por edição de Brasileiro, ele tornar-se-á o maior artilheiro da história dos Campeonatos Brasileiros. Aos 33 anos, somente lesões graves podem desvirtuar o artilheiro do caminho. Em 2012 e 2014 pelo Fluminense, Fred balançou as redes 20 e 18 vezes, respectivamente. Ano passado foram 14 gols dividindo a artilharia com Diego Souza (Sport) e William Pottker (Ponte Preta e atualmente no Internacional). 

A verdade é que, se tivesse rechaçado a ida para a França, hoje, Fred já teria superado Roberto Dinamite e estaria aumentando sua diferença para o ex-camisa 10 do Vasco que atingiu a marca de maior artilheiro jogando pela Portuguesa de Desportos sob o comando de Antônio Lopes, em 1989, quando o seu time de coração sagrou-se campeão brasileiro. Ironia do destino não!? 

Nessa crônica, peço com todo o respeito a opinião de Paulo Cezar Lima, nosso embaixador do Museu da Pelada que também jogou na França entre 1974 e 1975. É possível fazer esse prognóstico, Monsieur Caju? Embora tenha feito o primeiro gol no Campeonato Brasileiro, Fred já foi às redes 19 vezes em 25 partidas em 2017. Será que o jogador sedento por gols vai acelerar a partir de agora para reduzir a diferença para Roberto Dinamite e levar o Galo Doido ao tão sonhado título de campeão brasileiro depois de 46 anos? Apostem suas fichas! Nunca duvidemos de um artilheiro nato!