Escolha uma Página

Rogério Ceni

DE JOÃO SALDANHA PARA ROGÉRIO CENI

por Zé Roberto Padilha


(psicografado)

Caro Rogério, bom dia. Gostaria de saber se, quando você escolhia seu time na pelada de dois toques no São Paulo, não optava pelos melhores?

E o que é o futebol senão uma pelada organizada onde os melhores ocupam as posições e não as posições definem quem são os melhores?

Quando fui técnico da seleção brasileira, resolvi que teríamos o mais poderoso dos ataques. E convoquei os principais camisas 10 do futebol brasileiro: o do Botafogo, Jairzinho, do Santos, Pelé, do Cruzeiro, Tostão, e do Corinthians, Rivellino. O episódio da convocação ficou conhecido como “As feras do Saldanha”.

Sabe qual foi o resultado, não? O maior e mais poderoso ataque de todas as oCpas, que nos levou ao tricampeonato mundial. Bastou abrir o Jair numa beirada, Rivellino na outra, e avançar o Tostão para entender um Pelé que vinha detrás.

Os craques se entendem. Os pernas-de-pau se desentendem.

Agora, vejo daqui de cima você entrando com o Gabigol e deixando o Pedro no banco. E vice versa. Se são os melhores atacantes que o Flamengo tem, por que deixar um de fora?

Se fosse fazer como você, teria que escalar o Dario e deixar o Tostão no banco. E sabe quando a força física substituiria a inteligência no comando do nosso ataque?

Então, contra o Grêmio, na quinta, escale os dois. Faz de conta que vai entrar com os melhores jogadores pelo critério talento e categoria. Não mais por posição.

O futebol é uma pelada organizada. E quem escolhe e escala os melhores, geralmente, desorganiza é a defesa adversária.

Boa sorte.

O TAMANHO DO FLAMENGO

por Zé Roberto Padilha


Com o tempo você vai aprendendo. No caso Flamengo, o tempo foi me mostrando o seu tamanho tantas vezes não compreendido pelos que o dirigem. Principalmente no que diz  respeito às suas  contratações. O que é bom para o Fortaleza, hoje, não será ainda bom para o Flamengo.

Não é culpa do Rogério Ceni. Aconteceu lá atrás com Marcelo Cirino. E mais recentemente com Michael. Atuavam em times com suas fortalezas fechadas e eram suas válvulas de escape. Porque o Goiás, e o Atlético Paranaense, protegem mais que atacam seus adversários.

Daí eles se destacam, jogam bem contra  o Flamengo, que se expõe sempre, e são contratados ainda no vestiario.  E o Flamengo, grande daquele jeito, joga compacto por tradição e seus adversários estarão fechados.Por tradição e sobrevivência. E não permitem o contra ataque.

E como esses dois velocistas precisam dele, como vão ser úteis ? Tocando bola e entrando tabelando quando suas maiores  armas precisam de espaço?

Rogério Ceni ainda é treinador para proteger fortalezas.  No comando de uma foi crescendo como treinador. Dai o levaram para o Cruzeiro. Grande daquele jeito. E agora o Flamengo.

Ninguém passa da infância para a fase adulta sem passar pela adolescência. Que tal uma ida à boate com a camisa do Coritiba? Um encontro com a namora sob a égide de um Bahia?

Pedir uma moça do Méier para sair e levá-la, com todo respeito, para um jantar a luz de velas no Copacabana Palace você vai encantá-la.

Mas você será precocemente eliminado da Libertadores.