RIVALDO, O ÚLTIMO CAMISA 10 ROMÂNTICO

por André Felipe de Lima

Pelé foi categórico: Rivaldo está na lista dos 125 maiores jogadores vivos do mundo. Foi ele o último camisa 10 romântico do futebol brasileiro. Jogador igual ao Rivaldo hoje em dia? Não vislumbramos nem mesmo com bola de cristal.

Na Seleção Brasileira? Foi ídolo dos maiores do panteão de craques memoráveis. No Palmeiras? Sensacional. No Barcelona? Simplesmente o maior do mundo em 1999. O Bola de Ouro. O Rivaldo dos gols mágicos, inigualáveis. Foi vestindo a camisa azul e grená que Rivaldo mais brilhou. Marcou pouco mais de 130 gols em cerca de 230 jogos.

Como o próprio Rivaldo discursou, em sua despedida dos gramados, em março de 2014, sua linda carreira foi construída sem romantismo. Superou muitos obstáculos, desafios, renúncias, saudades e decepções, mas ergueu-se sempre. Sobretudo com alegrias, conquistas e profundas mudanças. Ora ensinando, ora aprendendo na roda da vida. Rivaldo, como ele mesmo definiu sobre si, jamais perdeu o foco: “Entre troféus, medalhas, premiações e títulos, em uma terra onde tudo se consome, deixo aqui uma história, talvez um exemplo, mas com certeza um testemunho de que vale a pena crer e lutar.”

Nesta quarta-feira, 19, é aniversário do grande meia campeão da Copa do Mundo de 2002. A nós, simples e humildes mortais, só resta uma coisa a fazer: agradecer ao cidadão recifense Rivaldo Vítor Borba Ferreira por tudo o que fez pela história do futebol brasileiro. Por manter viva em nossos corações a magia da camisa dez!

rivaldo 3.jpg