Escolha uma Página

assis

ASSIS, O CARRASCO DO FLAMENGO – PARTE 2

por Luis Filipe Chateaubriand


Naquela tarde ensolarada de domingo de Dezembro de 1984, Flamengo e Fluminense decidiam o título de campeão carioca daquele ano.

Diante de um público de mais de 150.000 pessoas, se presenciava um jogo tenso, agitado, nervoso.

O Flamengo parecia um pouco melhor em campo.

Só parecia…

Eis que, com 75 minutos de futebol transcorridos, em uma trama tricolor pela direita, Renê dá um passe em profundidade para Aldo.

Aldo recebe a bola e, sem tentar dominá-la, já cruza para a pequena área.

A bola, com incrível precisão, alcança a cabeça de Assis que, em impulsão, arremata para o gol.

E a pelota vai “morrer” macia no fundo do gol, ângulo direito de Fillol, que nada pode fazer.

Fluminense 1 x 0 Flamengo.

Depois, foi segurar os 15 minutos de pressão dos vermelhos e pretos e, feito isto, comemorar o título tricolor.

E Assis, que foi o herói do título sobre o Flamengo em 1983, bisava o feito, sendo, também, o herói do título sobre o Flamengo em 1984.

Dá-lhe, carrasco!

Luis Filipe Chateaubriand é Museu da Pelada!

ASSIS, O CARRASCO DO FLAMENGO – PARTE I

por Luis Filipe Chateaubriand


O ano era o de 1983.

Aquele Fla x Flu era o segundo jogo do triangular final do Campeonato Carioca – o primeiro jogo apontava Bangu 1 x 1 Fluminense.

Jogo truncado, aguerrido, sem muita técnica – o gramado encharcado do Maracanã não o permitia, pois chovia bastante.

Tudo levava a crer que teríamos um 0 x 0, que eliminaria o Fluminense e encaminharia o título para o jogo entre Flamengo x Bangu.

Mas eis que de repente, não mais que de repente, um impedimento de Adílio, inexistente, é marcado, aos 45 minutos do segundo tempo.

O Neguinho ia parar com a bola no fundo do gol, mas “tiraram o doce da boca da criança”.

Na reposição de bola, Deley, no meio de campo, vê Assis correndo pela direita, e pensa rápido: “tenho que meter essa bola para o Assis, ali entre o Júnior e o Mozer”.

Deley lança, preciosamente… entre o Júnior e o Mozer!

Assis sai com a bola dominada na cara do gol, frente a frente com Raul, toca por baixo do goleiro, e faz o gol redentor.

Era o gol do jogo, que acabou logo depois com a vitória do Fluminense por 1 x 0, e o gol do título, de Campeão Carioca de 1983!

A partir dali, Assis ficou conhecido como o carrasco do rubro negro.

Luis Filipe Chateaubriand é Museu da Pelada!

PARABÉNS, FLUMINENSE!

No dia em que o Fluminense completa 114 anos, o Museu da Pelada presenteia os torcedores com belos gols da dupla que fez história com a camisa tricolor, o Casal 20, formado por Washington e Assis!