Escolha uma Página

VICENTE ARENARI, O LATERAL DE AÇO

9 / julho / 2021

por Walter Duarte


Em 1959 o Bahia EC sagrou-se o primeiro Campeão da Taça Brasil, com equivalência ao Campeonato Brasileiro, em cima do Santos FC de Pelé e Cia. Algo fantástico para o “Tricolor de Aço” e motivo de grande orgulho para a torcida, diante das circunstâncias dos jogos dessa decisão e da inversão do prognóstico inicial a favor do time Santista, base da seleção.

Foram três jogos memoráveis, tendo o Bahia vencido dois deles. Na decisão no Maracanã (3×1), um tal Vicentinho, impetuoso lateral-esquerdo, marca um lindo gol de falta. Natural de Natividade RJ (23/03/1935), no Noroeste Fluminense, filho do Italiano Vicente Arenari e Edith Braga, mudou-se com os pais para Campos RJ, junto com mais oito irmãos (Capistrano, Lenita, Ada, Edith, Cleber, José Clauder, Clóvis e Raul Arenari).


Ainda na infância demonstrava suas qualidades nos gramados Campistas, celeiro de craques, iniciando no Americano FC, e logo seguindo para Flamengo em 1954. Fazia parte dos juvenis no ano do Campeonato Carioca de 1955, convivendo no grupo que tinha Dida, Evaristo, Dequinha e Zagalo.  A marcante conquista pelo Bahia na sequência de carreira fez Vicente Arenari entrar para galeria dos grandes heróis do clube, a exemplo dos seus companheiros de campanha: Nadinho, Nenzinho, Leone, Ari, Flávio, Léo, Henrique, Mario, Alencar, Beto, Bombeiro, Marito, Careca e Biriba.

Com a credencial de vencedor e imponente defensor na boa terra, chamou atenção do Palmeiras, que arquitetava sua primeira academia, com a contratação do ainda jovem craque do Bangu, Ademir da Guia. Com esse esquadrão, sagrou- se campeão paulista em 1963, vencendo o Noroeste no Pacaembu por 3×0, com uma rodada de antecedência, compondo equipe com os lendários: Julinho Botelho,  Djalma Santos e Vavá, campeões mundiais de 1958.


Pelo Palestra jogou por três anos, até 1965, identificando-se muito com o clube e suas tradições. Como profissional, encerrou sua carreira pelo Nacional SP, no ano de 1967, diante de grave contusão no joelho, mantendo residência na capital paulista. Confira alguns dos títulos do Vicente:

– Flamengo: Torneiro Internacional do Rio de Janeiro (torneio Gilberto Cardoso);

– Bahia: Taça Brasil de 1959, Copa norte-nordeste de 1959 e 1961.

– Campeão Baiano: 1956, 1958, 1959, 1960, 1961 e 1962;

– Palmeiras: Paulista de 1963, Torneio Rio-São Paulo de 1965, além de diversos torneios, inclusive no exterior. 

Por conta da sua notável liderança e experiência junto a grandes esquadrões, seguiu seu rumo futebolístico como treinador. Trabalhou em clubes como: Nacional SP,  Botafogo SP,  Mogi Mirim SP, Ferroviária SP, Saad SP, Juventude RS, Santo André SP, Caxias do Sul RS, Americano RJ, Goytacaz RJ, Itaperuna RJ, entre outros. No Palmeiras, treinou a base nas décadas de 70 e 80, sendo promovido a treinador dos profissionais em 1985, uma fase complicada do Clube Alviverde.


O trabalho de base sempre foi umas das preocupações do Vicente Arenari. Sem dúvidas que a fabulosa oportunidade de ser contemporâneo de jogadores diferenciados marcou muito sua filosofia de técnico. Época de uma atmosfera lúdica e inspiradora, porém com embates duríssimos, como nos jogos ” ardidos” da Libertadores da América.

Formou gerações de jogadores com a pretensão de não somente revelar, mas também forjar uma postura do indivíduo, perante os desafios da vida. Sua grandeza, como jogador e cidadão, sedimentaram o orgulho e respeito pelos clubes e profissionais com quem trabalhou. No dia 14/07/2013, tivemos a triste notícia do seu falecimento, aos 78 anos, com sepultamento em sua terra natal. Seguimos assim, com a nossa missão de reverenciar aqueles que nos deixaram ensinamentos e representatividade. O futebol agradece! Máximo respeito ao eterno “Lateral de Aço”, Vicente Arenari. 

** Meus agradecimentos a família Arenari pelas informações e a honra do texto, em especial ao parceiro das resenhas Júlio Arenari (sobrinho) e os filhos Vinícius e Vicente Neto.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.