Escolha uma Página

MESTRE ZIZA, O ÍDOLO DE PELÉ

21 / setembro / 2021

por Elso Venâncio


Nascido em São Gonçalo, Thomaz Soares da Silva, o Zizinho, craque do Flamengo, do São Paulo, do Bangu e da seleção brasileira, caso estivesse vivo teria completado 100 anos de idade no último dia 14 de setembro.

Segundo João Máximo, nosso grande nome do Jornalismo Esportivo, Zizinho, vice-campeão do mundo em 1950, influenciou não apenas Pelé, mas toda uma geração.

No fim da década de 50, já campeão do mundo e principal jogador do país, Pelé veio com o Santos jogar no Maracanã e bateu de frente com Zizinho. Ato contínuo, aproximou-se de seu ídolo e disse, emocionado:

– Mestre, aprendi tudo com você…

Resposta do Zizinho:

– Aprendeu de mais, hein, garoto!

O técnico do Flamengo Flávio Costa lançou Zizinho, então com 19 anos de idade, com a missão de substituir ninguém menos do que Leônidas da Silva, outro ícone nacional. Zizinho lideraria o Rubro-Negro na conquista de seu primeiro tricampeonato carioca: 1942, 1943 e 1944!

Nessa época, o Brasil tinha três ídolos nacionais: o Presidente Getúlio Vargas; Orlando Silva, o “Cantor das Multidões”; e Leônidas da Silva, o “Diamante Negro”, nome até hoje de chocolate.

Eis que surgia, então, um novo mito: Zizinho.

Na Copa de 50, se houvesse eleição da FIFA, ele certamente seria apontado como o melhor jogador do planeta. Foi o grande nome do Mundial.

“O futebol de Zizinho me faz lembrar Da Vinci pintando uma obra rara” escreveu o jornalista italiano Giordano Fatori, da Gazzetta dello Sport.

No começo dos anos 2000, reuni no “Enquanto A Bola Não Rola”, programa de debates que eu apresentava aos domingos na Rádio Globo, os maiores armadores do nosso futebol: Didi, Gerson, Rivellino e Paulo Cézar Caju. Liguei para Niterói para avisar que um carro estava à disposição para buscar Zizinho, presença que todos ansiávamos, mas ele não pôde comparecer por já estar sem forças. Percebi que ele queria realmente participar, rever os antigos companheiros e conhecer os novos ídolos, mas não deu.

Seria a última grande lição do Mestre Ziza! Mestre não só de Pelé, mas de todo o futebol.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.