Escolha uma Página

GAROTINHO HOMENAGEADO NOS 100 ANOS DO RÁDIO

11 / julho / 2022

por Elso Venâncio

Um documentário acaba de ser lançado para homenagear o Rádio, que está completando 100 anos de idade, e em especial, claro, o Radialismo Esportivo.

Cinco personalidades, em cinco episódios. Os dois primeiros, sobre Milton Neves e José Silvério, já podem ser vistos no Star Plus, canal de streaming da Disney. No fim do mês, toda a série estará disponível na ESPN.

Milton Neves, José Silvério, o gaúcho Pedro Ernesto Denardin, Osmar Santos e, fechando a programação, como grande atração, contando toda a sua história, o ‘Garotinho’, ou seja, José Carlos Araujo, fenômeno do Rádio e da Comunicação.

Recebi o repórter Marcelo Gomes e o produtor Rafael Valente para relembrar passagens marcantes relativas aos 19 anos em que estive ao lado do Garotinho. Foi ele quem me transferiu da Rádio Nacional, de Volta Redonda, para a Nacional, do Rio de Janeiro. Um ano depois, eu e Washington Rodrigues já estávamos ao lado dele, na Rádio Globo.

No final dos anos 70 Garotinho deixou a Rádio Globo para liderar a equipe da Nacional. Levou consigo nomes como Washington Rodrigues, Deni Menezes e Luiz Mendes. Incomodou a concorrente até se tornar líder de audiência. A poderosa Globo se rendeu, oferecendo um contrato irrecusável, e assim ele retornou à Rua do Russel ao final de 1984.

Profissional ao extremo, único locutor que se concentra, dormindo cedo na véspera dos jogos, Garotinho sempre chegava aos estádios, pelo menos, três horas antes de a bola rolar. Líder e profundo conhecedor do Rádio, sabe escalar o time, coloca cada profissional no lugar em que mais pode render.

Em cada canto do Brasil tem um ‘Garotinho’ a imitá-lo. E que, por ser assim, acaba sendo chamado também de ‘Garotinho’. A começar por São Paulo, com Osmar Santos, passando até por políticos, como o ex-governador do Rio Anthony Garotinho, que registrou o apelido, inclusive, incorporando-o ao próprio nome.

Em Campos dos Goytacazes, minha terra natal, Anthony Garotinho narrava futebol e corridas de cavalo. Usava alguns bordões famosos, como ‘Sou eu!’, ‘Voltei!’, ‘Vai mais, vai mais, Garotinho!’, ‘Brasileiro não vive sem rádio’, ‘Seu melhor companheiro’, ‘Você, do volante, obrigado pela carona que me dá’…

Nos anos 90 fui fazer um jogo do Flamengo em Cuiabá. A Rádio Globo colocava os repórteres nos mesmos voos e hotéis da delegação rubro-negra. Naquele domingo iriam Luiz Carlos Silva, como locutor, além do comentarista Afonso Soares. Por problemas técnicos, o avião não decolou. Os jogos não passavam pela tevê e precisei procurar um narrador. Queria saber quem era o melhor da cidade. Fui até à casa dele, me apresentei e fui recebido com um delicado sorriso:

– Eu sou o Garotinho!

– Mas, como?

– Sou o Garotinho daqui e também sou o mais ouvido da região! – respondeu, flexionando a voz e lembrando o verdadeiro ‘Garotinho’, José Carlos Araújo.

Para o documentário que alertei acima, no Rio foram ouvidos Washington Rodrigues, Eraldo Leite, Deni Menezes, Cícero Mello, Luiz Penido e Édson Mauro, dentre outros, além de mim. Em São Paulo chamaram Wanderlei Nogueira, Mauro Beting, Paulo Vinicius Coelho, Paulo Soares, Marília Ruiz e Oscar Ulisses. Em Porto Alegre, João Carlos Belmonte, José Aldo Pinheiro, José Alberto Andrade e o grupo de rock Nenhum de Nós, que fez bastante sucesso nos anos 80.

Ídolos do esporte também colaboraram, como Lance e Nenê. Nomes marcantes no Corinthians e no Santos, falaram sobre Milton Neves. Marcelinho Carioca, Marcos e Jamelli são fãs de José Silvério. Paulo Roberto Falcão e Baideck acompanharam de perto Pedro Ernesto. Casagrande e Raí recordaram passagens com Osmar Santos. Já Garotinho, por sua vez, foi saudado por Junior, o ‘Maestro’, e Donizete, o ‘Pantera’.

Cada programa terá uma hora de duração. O especial, contudo, ainda será ainda exibido pela ESPN. Digo aqui os dias e horários:

– ‘Milton Neves e Suas Paixões’. Dia 26 de julho, 1 da manhã
– ‘José Silvério, o Menino Chato’. Dia 25 de julho, às 23h55
– ‘O Vovô Locutor’, com Pedro Ernesto Denardin. Dia 27 de julho, às 22h30
– ‘Osmar Santos e os Irmãos do Rádio’. Dia 28 de julho (aniversário de Osmar), às 23h55
– ‘Coisas de Garotinho’, com José Carlos Araújo. Dia 29 de julho, às 23h45

É isso! Absolutamente imperdível! Ainda mais depois que fomos surpreendidos pela notícia de que Garotinho, aos 82 anos, passou por um cateterismo com o doutor César Medeiros. Então, boa recuperação ao maior nome do Rádio Esportivo Brasileiro! Que, se Deus quiser, em breve estará de volta aos microfones da Rádio Tupi e da Nova Brasil FM!

Abraço em todos!

3 Comentários

  1. Andre Luiz Matias Miranda

    Só uma correção foi em 1984, 01 de dezembro de 1984 ele estreou na rádio Globo

    Responder
  2. Jorcelei da Silva

    Cara só em falar nesses nomes aí já foi show

    Responder
    • Vander Lucio Silva de Jesus

      Só lamento não colocar alguém das rádios aqui de Minas Gerais como o Alberto Rodrigues (gol, gol, gol!!!) ou os saudosos Osvaldo Farias (coragem para dizer a verdade!), Kafunga(não tem coré-core!), Vilibaldo Alves(adiviiiinhe!!) e Fernando Sasso (tá no filó!). Todos eles, seja nas Rádios Itatiaia ou Inconfidência, nas TVs Globo/Minas, Alterosa ou a instinta Itacolomi fizeram o imaginário de Atleticanos, cruzeirenses e americanos por várias décadas…

      Responder

Deixe uma resposta para Jorcelei da Silva Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.