NATURALIZAÇÃO OU ESCULHAMBAÇÃO?

por Israel Cayo Campos

IMG_5494.jpeg

Para o futebol, esse negócio de naturalização virou uma esculhambação! 

Daqui a pouco teremos Brasil Verde Amarelo x Brasil naturalizado chinês. 

A FIFA tem que impor uma regra nisso. Mas se omite!

Pelo menos se até os seus avós nasceram em um país, faz sentido! Agora, só porque o cara passou cinco anos em uma determinada nação já pode ser chamado a defendê-la? Aí perdeu a lógica! 

Perde-se também o total sentido do duelo entre países. Afinal, algumas seleções só tem os torcedores como nascidos naquele solo? 

Acabem logo com a Copa do Mundo. Que sentido há em uma competições entre nações se as seleções são transnacionais?

Tem jogador que nem o idioma do país sabe, mas joga pela Seleção. Duvido que Elkeson e Ricardo Goulart falem chinês fluente... Pera lá...

Aí o pessoal vai falar da França em 2018. Que ganhou com muitos africanos.

Primeiro que a França não é exemplo de nada em questões sociais! Vide o que anda fazendo com seus imigrantes!

Segundo que todos os 23 jogadores que ganharam a Copa do Mundo ou nasceram ou tem pais ou avós que lá viveram. O que faz sentido! Há uma raíz que liga determinado jogador ao território. Ligação essa que não custou um contrato caro das federações com seus jogadores naturalizados!

Se pensarmos dessa forma Pelé não poderia jogar pelo Brasil, mas por algum país de matriz africana, por exemplo. O que discuto não é poder se naturalizar. Mas que tal situação tenha um sentido, que não seja o financeiro! 

O que não dá é um cara que joga 3, 4 ou 5 anos num país, mesmo sem ter nem um tataravô nascido lá, defender as cores de um povo que não é o dele! Até porque nas primeiras férias 99.9% desses naturalizados vão a suas terras matrizes! 

Ou alguém acha que o maranhense Elkeson tem raízes chinesas? Isso é transformar as seleções nacionais em clubes, que contratam quem "lhes dão" na telha! Tudo isso virou um grande balcão de negócios! 

Que façamos seleções continentais então! Pois as multinacionais já disputam torneios e jogos eliminatórios a todo tempo! 

Do jeito que o futebol brasileiro anda mal das pernas, vamos ter um campeão nascido no Brasil antes que o próprio Brasil seja campeão do mundo novamente! 

Como ocorreu nos anos 1930, com o ex-corintiano Anfilogino Guarisi, o "Filó", campeão do mundo com a Itália em 1934. 24 anos antes do Brasil conquistar seu primeiro título mundial em 1958! 

Naquele período, o jogador podia defender até três países em jogos oficiais, como o caso de Di Stéfano! Ou seja, o cara se naturalizava por ser muito bom de bola!

Hoje, o "cara" e seus empresários percebem que a concorrência em uma posição é muito alta e aí procuram naturalizar seus atletas em outros países que possuem carências nesse mesmo espaço do campo. Claro, por uma boa verba! Ou seja. Inverteu o papel. O cara é ruim de bola para sua seleção e aí se naturaliza! 

Virou um comércio que faz não existir o menor sentido a existência de jogos entre países. Pois o senso de nacionalidade já não existe mais!