Escolha uma Página

A BOLA AFASTA, A BOLA APROXIMA

2 / dezembro / 2021

por Luis Filipe Chateaubriand


Na época em que eram jogadores de futebol, Júnior e Roberto Dinamite não se davam – um não ia com a cara com o outro.

Roberto Dinamite sempre tinha um “olhar torto” para Júnior, um azedume, uma cara feia para o “Maestro”.

Júnior não era diferente: um olhar ameaçador, uma cara de amargor, uma postura corporal de quem quer ir para a luta.

Um dia, depois que já tinham parado de jogar, no Sambódromo, se encontram, conversam, se entendem.

De lá para cá, se tornam grandes amigos.

É o futebol unindo ídolos, unindo gente!

Luis Filipe Chateaubriand é Museu da Pelada!

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.