VOA CANARINHO, VOA...

Por Mariza Pelegrineti

Quando eu era pequena, lá em Barra Mansa, o programa de domingo era ‘batata’: fim de tarde, a família reunida em volta da mesa de pedra no quintal da tia Déa para ouvir futebol pelo radinho de pilha! Meu pai, Ary, apaixonado pelo tricolor e sempre assoviando – talvez para acompanhar os canários que volta e meia trazia engaiolados para casa – deixou em mim e no meu irmão Fábio o amor pelo Flusão. Minha mãe, Ena, também era tricolor, mas virou casaca à época do Zico e passou a fazer parte da torcida rubro-negra da família, pulando pro lado dos meus irmãos Cláudio e Eloísa. Se não me falha a memória, a caçulinha Ângela sempre fez parte da turma do ‘deixa disso’, para separar as possíveis desavenças futebolísticas da família Fla x Flu, e nunca vestiu a camisa de time algum, muito pelo contrário...

O escrete canarinho

O escrete canarinho

Mas o tempo passa, o tempo voa, e hoje a tia Déa, lá em Barra Mansa, que me perdoe, mas vou roubar o papel dela no remake desta história. Dez sobrinhos e três filhos mais tarde (dois tricolores e um flamenguista), hoje, 2 de outubro de 2011, eu sou a tia desta história. Como não tenho quintal, nem radinho de pilha, resolvi alçar vôos maiores e deixar registrado aqui neste blog: finalmente, a família resolveu torcer por um só time! Calma, ninguém mais virou a casaca! Isto só foi possível graças à ‘íncrível’ campanha dos meus sobrinhos flamenguistas Maurício - vulgo Batata, ou, Sr. Incrível - e seu irmão Luiz, ou Elefante, filhos do meu irmão tricolor Fábio (e minha mãe que sempre dizia ‘quem sai aos seus não degenera’...hehehehehe) e da Tininha, também da turma do deixa disso!

Bem, voltando ao futebol, que é a pauta do dia: Maurício e Luiz – que hoje completa 24 anos - vão carregar a família na tarde deste domingo para torcer pelo Canarinho FutebolSociety, time para o qual ambos suam a camisa em campo e que participa, pela primeira vez, da final da série Prata do Campeonato organizado pela Niteroi Futebol Sete, Liga de Futebol Society de Niterói, no Colégio Salesianos, em Santa Rosa. Claro que eu, como tia coruja, tenho certeza que o Canarinho deve muito esta classificação para a final ao desempenho dos dois!!!

A tia coruja e os sobrinhos peladeiros

A tia coruja e os sobrinhos peladeiros

Novamente voltando para o campo, o jogo, contra o Znit F.S., começa às 15h30. A expectativa dos organizadores é que mais de mil pessoas – entre equipes e público – compareçam às finais do campeonato. E no meio desta galera estaremos todos da família lá, tricolores, flamenguistas e a galera do ‘deixa disso’ para torcer pelo resultado que, esperamos, também seja ‘batata’: Voa Canarinho, voa ...