O PROFESSOR

entrevista: Sergio Pugliese | texto: André Mendonça | fotos e vídeo: Daniel Perpetuo

Já falamos diversas vezes, mas é sempre bom ressaltar a importância dos nossos colaboradores para o crescimento do Museu da Pelada. Dessa vez, o parceiro Renato Belém Bastos entrou em contato pelo Facebook, sugeriu uma matéria com o lateral Paulo Uchôa e ainda fez esse meio-campo para a gente fazer uma resenha sensacional com o craque no Campo de São Bento, em Niterói. Aproveitamos a oportunidade para levar o parceiro Jeremias, ídolo do América-RJ, que abrilhantou o encontro.

por Renato Belém Bastos

Lateral direito consagrado, com boas passagens por Fluminense, América-RJ, Sporting (Portugal), Grêmio, entre outros, Uchôa teve o ponto alto da carreira no tricolor gaúcho, quando conquistou o Campeonato Brasileiro de 1981 ao lado de Baltazar e Renato Gaúcho.
 
Com excelente sentido de marcação, muito bom no apoio e um chute potente, teve uma trajetória brilhante no futebol, mas ninguém poderia imaginar que o sucesso se repetiria dentro da sala de aula. 

Após pendurar as chuteiras, tornou-se professor universitário na área de Educação Física e eu tive o prazer de aprender muito com ele. Além disso, virou técnico da seleção brasileira de futebol para amputados, tornando o Brasil tetracampeão na modalidade.

Se o jogador de futebol morre duas vezes como dizem por aí - após pendurar as chuteiras e quando o coração para - Uchôa tratou de se reinventar e renascer. Uma figura humana maravilhosa, sempre com palavras de incentivo e um humor de primeira, que soube buscar novos objetivos.