TRAJANO, O GRANDE

texto: Marcelo Mendez | vídeo: Marcelo Ferreira | fotos: Victor Limeira | edição de vídeo: Daniel Planel 

 

Veja a resenha com Trajano

O caminho que separa o discípulo e a referência é separado por alguns andares e mais umas outras portas.

Em uma tarde que ousou ser quente em julho, em meio ao inverno paulistano, rumamos para algo muito maior que apenas uma entrevista. Fomos falar com um dos maiores nomes do jornalismo brasileiro, um cara que escolheu para sua vida ser correto, ético e grandioso.

José Trajano também é muito mais que jornalista tão somente.

Torcedor fanático do América-RJ

Homem culto, fã de jazz, cinema, bossa nova, escritor de fina pena, torcedor do América, com todos seus amores voltados para a sua Tijuca, o homem que nos recebe para conversa é uma reserva de lucidez, de bom senso, do que se entende por bom gosto e fé.

Trajano faz do seu (nosso, no meu caso...) oficio sua profissão de fé. Da maior de todas as fés.

Sobre Leônidas da Selva

Ao longo de anos, passando por redações históricas como as de Jornal do Brasil, Jornal Ex, chegando à tevê para inovar na Cultura no começo dos anos 90, começando o Cartão Verde ao lado de Juca Kfouri e Armando Nogueira (Flavio Prado, o âncora...) e depois entrando de vez para a história com a fundação do Canal ESPN Brasil, Trajano é hoje um jornalista histórico e com muita história.

Algumas delas, ele falou para nós. Eu, Marcelo Mendez, sinto-me honrando por tê-las ouvido e, agora, o Museu da Pelada traz um tanto delas para vocês.

Com vocês, José Trajano. O Grande...

Trajano recorda história engraçada do seu tempo de adolescência