BUJICA 2.0, O CAÇADOR DE MARAJÁS

por Luis Filipe Chateaubriand

IMG_1990.jpeg

Em 1989, Flamengo e Vasco da Gama jogariam pela primeira fase do Campeonato Brasileiro, no Maracanã. Seria o primeiro jogo de Bebeto, recém contratado pelos vascaínos, contra o ex clube.

O Vasco da Gama contava com uma configuração de grandes jogadores frequentemente convocados para a Seleção Brasileira, como Acácio, Luiz Carlos Wink, Mazinho, Tita, Bismark e o próprio Bebeto. Era a SeleVasco.

O Flamengo tinha um bom time com jogadores, contudo, menos brilhantes e conhecidos, à exceção de Júnior e Zico.

Pois o jogo não foi nada do que se esperava. O brilho da SeleVasco não aconteceu. Bebeto, muito nervoso em seu primeiro jogo contra o antigo clube, acabou expulso, juntamente com o goleiro rubro negro Zé Carlos, em uma briga entre os dois.

Liderados pelos experientes Júnior – em uma atuação como líbero soberba – e Zico – atuando como meia armador de forma magistral – e pelo garoto cabeludo Luiz Carlos, cria da base – que levou à loucura os adversários criando jogadas pelos dois lados do campo, o “mais querido” deu uma aula de futebol nos selecionáveis, que não viram a “cor da bola” naquele dia.

Um centroavante de apelido engraçado, o Bujica, se tornou o nome do jogo. Ao marcar dois gols de puro oportunismo, “roubou a cena”. 

Flamengo 2 x 0 Vasco da Gama. E estamos conversados!

O cidadão que hora vos escreve, vascaíno, saiu do Maracanã de cabeça inchada. Mas o pior ainda estava por vir...

Os jogadores do Vasco eram, então, chamados de marajás – designação a quem tem alta remuneração. Havia um candidato a presidente que se dizia caçador de marajás e logo o adesivo “Bujica 2.0 – O Caçador de Marajás” começou a estampar vários carros pelas ruas do Rio de Janeiro.

E, no dia seguinte, havia aula na faculdade. Lá estava eu, assistindo aula. Do lado de fora, vem o grito do meu amigo Raul, flamenguista, citando meu apelido de juventude, para risada geral da turma (de dentro e de fora da sala) e para a minha cara de paspalho:

“Gargamel... Bujica!!!”.

Há 30 anos, direto do túnel do tempo.  

Luis Filipe Chateaubriand acompanha o futebol há 40anos e é autor da obra “O Calendário dos 256 Principais Clubes do Futebol Brasileiro”. Email:luisfilipechateaubriand@gmail.com.