UMA TARDE INESQUECÍVEL

por Mauro Ferreira

Era mais uma das muitas tardes de domingo, de um Vasco X Fluminense (3x0 para o meu Fluzão!!!). Na preliminar, dois combinados de pouco afeitos aos gramados. Peladeiros, sim, com muita honra!!! De um lado, um bando de artistas. Nuno Leal Maia e Evandro Mesquita capitaneavam. Do outro, uns pernas-de-pau, cronistas esportivos, mestres na arte de criticar os que jogavam futebol muito - muito, mesmo - mais que eles. No final, goleada do time dos artistas. Informação obviamente escamoteada dos jornais do dia seguinte.

Foi um domingo particular, de muitas histórias. Eu e Bocage dividimos o gol. Comecei como titular e a geral do Maraca fez nosso treinador me tirar do jogo logo no início do segundo tempo, depois de mais um "frangaço". Tino Marcos, na lateral-esquerda, terminou o primeiro tempo com os lábios esbranquiçados pela saliva da falta de fôlego. Sequer conseguia andar. Meinha (Giuseppe Amato) e o saudoso Jorge Nunes eram os mais - digamos - lúcidos. O resto não ajudava em nada. Mair Pena Neto, Luís Augusto Nunes, Iata Anderson, Vicente Sena, Márcio Tavares, Paulo César Vasconcelos, Ari Gomes, Pierre Carvalho (Capitão Gancho), formavam o restante do time.

O duelo entre artistas e cronistas entrou para a história

O duelo entre artistas e cronistas entrou para a história

Na foto, ainda estão algumas lendas jornalísticas que não "adentraram ao gramado": Oldemário Touguinhó, Sérgio Paulhinha, Tarlis Batista (aquele que assegura ter tido um colóquio com a atriz Bo Derek), Mario Derrico, Newton Zarani, Sinval e, perdoem-me, não lembro o nome dos demais.

Foi uma tarde inesquecível!!! Jogar na grama sagrada do Maracanã é para poucos. Pagar um mico monumental, também. A foto não mente. Quanto à história do jogo, ah, isso a gente deu um jeitinho...