ROBIN HOOD DO BRASILEIRÃO

por Mateus Ribeiro

c1.jpg

Tira dos grandes para ajudar os pequenos. Tal qual o heroi fora da lei, o Alvinegro de Parque São Jorge vem fazendo a alegria dos menos favorecidos, enquanto os mais poderosos sofrem quando encaram o Corinthians.

É bem verdade que o time está desfalcado de peças importantes, e que a oscilação faz parte do futebol. Porém, perder para o Vitória e para o Atlético Goianiense (que tem uma das piores campanhas da historia do Campeonato Brasileiro) foi o suficiente para ligar a luz de alerta em Itaquera. E com todo o respeito aos profissionais que vestem a camisa dos adversários, o Corinthians tem a obrigação moral de pelo menos jogar bem contra tais equipes. Não jogou, e pasme, não marcou um gol nessas duas partidas. Sinceramente, beira o inexplicável.

Se levar em consideração que o Corinthians ainda empatou com Avaí e Chapecoense no primeiro turno, podemos contabilizar dez pontos perdidos para times inferiores técnica e financeiramente.

Quem é torcedor do Corinthians sabe que o clube sempre costuma derrapar quando encontra adversários mais fracos. Algo parecido com uma maldição eterna, que causa calafrios nos torcedores.

Porém, os dois últimos sábados foram tenebrosos para quem foi até o estádio esperando ver duas goleadas, pois os tropeços pareciam impossíveis. Pelo contrário, assistiram duas catástrofes. Para o Corintiano, trágico. Para os demais torcedores, cômico.

Com essas derrotas, o campeonato provou que é um dos mais imprevisíveis dos últimos tempos. Inúmeros times vencendo fora de casa, grandes favoritos sofrendo contra times pequenos, times tradicionais lutando contra o rebaixamento. A cada rodada um time é surpreendido. Nesta, o infeliz foi o Corinthians. E na passada também.

Sendo assim, a disputa fica mais aberta, afinal, tudo pode acontecer. Vamos aguardar e ver se o time de Fábio Carille se recupera ou mantém a fama de Robin Hood!