POUCOS E BONS

:::::::: por Paulo Cezar Caju ::::::::

 (Foto: Nana Moraes)

(Foto: Nana Moraes)

Islândia, Panamá e Egito estão na Copa do Mundo. Holanda e Chile, não. Itália está na repescagem e Argentina se safou na última rodada. E, por favor, não me venham com esse papo de globalização, espaço para todos e união entre os povos porque sou a favor disso tudo, mas nesse caso, esqueçam, é politicagem pura, regulamentos de quinta categoria e a massificação do futebol da pior forma possível.

Me perdoem, mas Copa do Mundo é para poucos e bons. Se os dirigentes quiserem dar uma de bons samaritanos, algo que nunca foram, que realizem um outro torneio, nos moldes da Copa do Brasil, e reúnam milhares de países, mesmo os com zero tradição em futebol.

Como a Holanda, terceira colocada na Copa passada, pode ficar de fora? E o Chile, campeão da Copa América? Está errado! Como Cristiano Ronaldo, Messi e Neymar podem não participar de uma Copa?

HOLANDA.jpg

Durante o ano todo eles atraem milhares e mais milhares de torcedores aos estádios e na competição mais importante saem por conta de regulamentos esdrúxulos. Quem criem um ranking, mudem o formato, mas Copa do Mundo é Copa do Mundo, é show, é evento, é quando os maiores astros podem se enfrentar.

Tenho todo carinho do mundo pela Islândia, mas ela não vai contribuir em nada para o futebol. Serão onze soldados, disciplinados e determinados a não perderem. A torcida é linda, dá show, emociona, mas eu quero assistir é futebol de verdade.

Alô, dirigentes que ainda estão soltos, não acabem com a Copa do Mundo porque ela é sagrada e merece respeito, o máximo respeito.