OS AMIGOS DA JUVENTUDE

por Victor Kingma

Nunca perca de vista os seus amigos de juventude. Vai chegar uma época da vida em que você vai viver muito de contar histórias. E ninguem como eles vai dar mais atenção a cada uma delas que você contar. Até porque fizeram parte desse enredo, muitas vezes fantasioso.

Os amigos da juventude de Victor Kingma, em Juiz de Fora, nos anos 70

Os amigos da juventude de Victor Kingma, em Juiz de Fora, nos anos 70

Nunca perca de vista os seus amigos de juventude. Alguns vão até ser cúmplices de suas bravatas e, com os olhos marejados de saudades, testemunhar a seu favor, quando alguém duvidar de suas “façanhas”, contadas com tanto orgulho para os filhos, sobrinhos ou netos. Tem até aquele que vai se vangloriar por ter participado do jogo no qual você fez aquele fantástico gol. Gol que você narra com tantos detalhes, e que talvez jamais tenha marcado.

Nunca perca de vista os seus amigos de juventude. Eles, com certeza, não terão mais os cabelos compridos, como nas desbotadas fotografias, nem a mesma  disposição pra correratrás da bola, ou até fugir dos vizinhos que os pegaram roubando frutos no quintal. Algum deles, que certamente não é mais o galã da turma, pode mesmo ter se casado com a disputada morena do bairro. E outros, talvez, nem curtam mais tanto assim os Beatles. Nem devem ter mais os LP´s do mágico quateto de Liverpool, formado por Ringo, George, Paul e John. Só devem torcer ainda pelo mesmo clube,  porque boleiro que se presa jamais muda de time. Bem, mas nada disso tem tanta importância.

Independente do lugar para onde a vida levou ou direcionou cada um deles, levou junto um pouco de sua história. E somente eles saberão contá-la, ou relembrá-la, junto com você, como testemunhas oculares e personagens inesquecíveis, nos importantes capítulos em que participaram, no livro de sua vida...

Por isso, nunca perca de vista os seus amigos de juventude.