ODE À PANTERA, MEU POEMA PRA EUSÉBIO...

por Marcelo Mendez

Na volta para Portugal, os jogadores fizeram uma homenagem ao ídolo português

Na volta para Portugal, os jogadores fizeram uma homenagem ao ídolo português

Tu foste grande, hábil, forte e mágico.

Pelo tempo que esteve pelas canchas, dividiste tua sanha de semideus com nós, pobres e reles mortais. No chão de grama que pisaste, fizeste odes e épicos.

Com a destreza de um milhão de malandros imortais de uma Lapa, que é eterna no sonho, bailaste com a bola, como bailava as cabrochas ao som de gafieiras imortais. No teu olhar de grande, tu querias o gol, tanto quanto o adolescente virgem quer o primeiro beijo na boca.

Agora, veja você, teu país ganha finalmente seu primeiro caneco.

Dirão os pragmatas idiotas que tu não estás mais aqui, que esse time não é teu e que foste embora sem vencer nada dos títulos que os mortais organizam

Pobres tolos.

Tu tens mais que título, tens a imortalidade.

Ganhas ao invés de troféus, milhões de corações pelo mundo, como este que te escreve essa ode agora. Por tudo isso, esse título, o primeiro da tua gente, também é seu e talvez só teu. Teu Portugal - tanto quanto tua Moçambique por osmose santa... - é o maior da Europa e tu, mestre, és o maior de todos, o primeiro em vários outros amores que a bola desperta. Por conta disso, mestre, finalmente posso te dizer:

Parabéns, Eusébio, tu és o maior de todos os campeões europeus!!