O OLHO DO MARACA

 O fotógrafo tinha um cantinho reservado no Maracanã

O fotógrafo tinha um cantinho reservado no Maracanã

O futebol brasileiro perdeu ontem uma lenda! Não se trata de nenhum craque dentro das quatro linhas, mas na beirada delas! Aos 77 anos, Eurico Dantas, mestre do fotojornalismo, morreu devido a complicações causadas por um acidente vascular cerebral.

Com quase 2500 gols fotografados, de grandes craques como Pelé, Romário e Zico, Eurico é o recordista no quesito e se orgulhava disso. Um dos seus registros mais emblemáticos ocorreu na partida entre Vasco e Botafogo, em 1976, quando Roberto Dinamite deu um lençol em Osmar e marcou um golaço no Maracanã. Torcedor do Vasco, Eurico conseguiu registrar o momento exato de um dos lances mais bonitos do futebol brasileiro.

 Golaço de Dinamite registrado por Eurico Dantas

Golaço de Dinamite registrado por Eurico Dantas

A habilidade com a máquina nas mãos lhe rendeu incríveis 25 premiações nacionais e internacionais. Entre elas, o prêmio Bola de Ouro, em 1974, dado ao melhor fotógrafo do ano.

Toda essa paixão pelo fotojornalismo começou aos 15 anos, em 1955, quando Eurico trabalhava como contínuo no arquivo de fotos do jornal O Globo. Sempre disposto a aprender, buscava o contato com os experientes fotógrafos dos jornais, além de frequentar as aulas de fotografia.

Em 1961, aos 21 anos, deu suas primeiras saídas, mas foi em 1962 que o craque começou a dar seus "tapas" na beira do gramado. Com uma Roleiflex, sua primeira máquina, registrava os lances no campo do Olaria. O talento de Eurico logo foi reconhecido.

Passou a fazer viagens nacionais e internacionais, cobrindo jogos do Campeonato Brasileiro e da Copa do Mundo de 70, no México, e da Argentina, em 78. Em 76, teve a oportunidade de cobrir o torneio do quarto centenário dos EUA no qual o Brasil foi campeão.

Foram 40 anos de trabalho no Jornal O Globo, antes de ingressar no Jornal O Dia, onde comandou a equipe de fotógrafos. Entre os fotógrafos, estava Marcos Tristão, seu grande amigo. O curioso é que o primeiro contato, no entanto, não foi dos mais agradáveis:

- Foi traumático porque minutos antes de uma partida começar, todos os fotógrafos já posicionados, ele chegou e ficou na frente de todos! Xinguei muito! Mas depois virou um grande amigo, aprendi muitas coisas com ele no Jornal O Dia, era uma pessoa fantástica que ajudou muitos fotógrafos em início de carreira. Ele era muito respeitado, tinha o cantinho do Eurico no Maracanã, era o lugar fixo dele! A gente brincava dizendo que ele tinha mais gols do que Pelé e Romário juntos! Depois que eu fui para O Globo, mantive o contato com ele, e muitas vezes almoçávamos juntos! Fiquei muito triste com a notícia - disse Marcos Tristão.

Depois de trabalhar no Jornal O Dia, Eurico foi convidado para ser editor de fotografia no Extra, onde ficou até janeiro de 2011. Ele dizia que suas paixões eram o futebol e o céu, onde tem as nuvens!

VALEU, EURICO!!