O GOLEIRO VOADOR

por Victor Kingma, de Minas Gerais

Pompéia tinha uma impulsão de dar inveja a muitos goleiros

Pompéia tinha uma impulsão de dar inveja a muitos goleiros

Ao longo dos anos, o futebol brasileiro revelou grandes goleiros como Barbosa, Castilho, Manga, Gilmar, Taffarel e tantos outros. Entretanto, o mais espetacular de todos, para muitos saudosistas como eu, talvez tenha sido Pompéia. Com sua incrível elasticidade e saltos acrobáticos, fazia as torcidas vibrarem, inclusive as adversárias, para delírio dos vibrantes narradores esportivos da época.

José Valentino da Silva, o Pompéia, era mineiro da cidade de Itajubá, onde iniciou a carreira no Itajubá F.C.  Antes disso, no entanto, havia sido artista de circo.

Muitos não sabem, mas inicialmente ele jogava de centroavante. Um dia, já atuando pelo São Paulo da mesma cidade, numa partida em Três Pontas, o goleiro do time adoeceu e o treinador precisou escalar o centroavante no gol. Sua atuação foi tão espetacular que a partir daquele dia jamais abandonou a posição.

 Sua fama logo correu o Brasil e grandes clubes como Portuguesa e São Paulo tentaram contratá-lo. Mas ele sempre recusava, alegando que não queria sair de Minas.

Um dia, o Bonsucesso foi jogar em Itajubá e o juiz que acompanhava o clube carioca, e que apitou a partida, ficou impressionado com a atuação do goleiro e o convidou para jogar no Rio. Como adorava a cidade, acabou aceitando.

Por volta de 1953, Alfinete, seu primeiro técnico no Bonsucesso, costumava levá-lo para assistir os jogos de Barbosa e Castilho, os maiores goleiros da época. E Pompéia aprendeu muito com eles.

No ano seguinte, foi contratado pelo América, onde desenvolveu uma carreira brilhante. Seu primeiro título foi um torneio internacional, no Peru. 

Foi campeão carioca em 1960 pelo mesmo clube e campeão venezuelano pelo Deportivo Português. Jogou ainda no Futebol Clube do Porto, de Portugal, e no Galícia, da Venezuela. 

Pelas suas defesas acrobáticas e saltos espetaculares era conhecido como Constelation (aeronave famosa da época), Ponte Aérea e Goleiro Voador.

Quando era garoto, gostava de desenhar a figura do marinheiro Popeye. Como ele e seus amigos não sabiam pronunciar direito o nome do personagem, acabou dando origem ao apelido Pompéia.

Pompéia, o mais peladeiro dos goleiros, o goleiro voador, faleceu no Rio de Janeiro em 18 de maio de 1996, aos 62 anos de idade.