O FUTEBOL AGONIZA, MAS NÃO MORRE

por Marcelo Soares

i1.jpg

Meu pai, parceiro de arquibancada, cresceu com o futebol das décadas de 70 e 80. Hoje já não tem mais vontade de ir aos jogos.

Será que naquela época eram muito bons mesmo ou hoje são muito ruins? Acredito que as duas opções estejam certas.

Anteontem, toda essa festa antes da final da Copa do Brasil mostrou como as coisas estão mudando no futebol brasileiro. Após a bola rolar acabou a festa. Cartões para todos os lados e os onze jogadores atrás da linha bola. 

Certamente não é essa a mudança que queremos.

VAR... Não me lembro de ouvir do meu pai e do meu avô reclamações sobre arbitragem. Esqueceram o futebol nas décadas passadas e buscam sempre um vilão.  Árbitros, jogadores. Talvez o problema não estejam neles. Sabemos que não estão dentro de campo.

Categorias de base em situações precárias, dívidas bilionárias…

Aquele que é considerado o melhor time do país apresenta um futebol fraquíssimo. Vence pois os adversários são piores ainda. O famoso "extracampo" está cada vez mais sendo decisivo.

Apesar de tentarem e muito acabar com ele, o verdadeiro futebol agoniza, mas não morre. Como diria Nelson Sargento.

i2.jpg

O que fez e faz meu pai perder a vontade? Times sem padrão de jogo? Escassez de craques? Ingressos caros? Ou toda essa palhaçada que estão fazendo fora de campo?

Anteontem, infelizmente não fomos ao estádio.

Para o Corinthians, nunca foi fácil. Mas está cada vez mais difícil. Difícil comemorar um gol, uma boa partida.

Talvez o mais difícil será convencer a próxima geração a ser meu parceiro de arquibancada. 

As próximas gerações podem olhar para o futebol e dizer:

Que jogo mais chato, VAR pra PQP.