O CARA

por Claudio Lovato

guga capa.jpg

O veterano jornalista estava a passeio em Madri.

Mais faceiro que formiga em tampa de xarope, lá se ia o gaúcho de Taquara pelas ruas e vielas do centro madrilenho. 

E dá-lhe Puerta del Sol, dá-lhe tapas, ô, Madri!

Até que surgiu no caminho uma loja de artigos esportivos. Uma baita loja. O jornalista entrou.

Camisas de todos os grandes da Europa. E de alguns médios. E de alguns pequenos também.

Curioso, o calejado repórter, que inspirou muita gente por onde passou, avançou, investigou, xeretou, e lá pelas tantas, lá no fundão, num canto com toda a cara de canto, ele viu as camisas do Vasco da Gama e do... Avaí.

De clubes brasileiros, apenas essas duas. E só. 

Incapaz de resistir ao espanto e ao impulso, o experiente e sempre bravo homem de imprensa localizou o dono da loja.

Apresentou-se, saudou, foi saudado, riu, fez rir, e, por fim, perguntou, sem conseguir esconder o desconcerto que não parava de aumentar.

- A camisa do Vasco, tudo bem, eu entendi. O Vasco já foi campeão brasileiro, tem projeção internacional, coisa e tal, mas por que a do Avaí, a azul?

O espanhol olhou-o nos olhos. Ar reflexivo, parecia estar escolhendo as palavras, uma a uma. Por fim, respirou fundo, colocou as mãos para trás, pigarreou e então, num tom muito sério, muito reverencial, disse, com sua voz grave de comerciante do centro de Madri:

- Esta es la blusa del tenista, señor.

Guga comemora um título do Avaí

Guga comemora um título do Avaí

Texto dedicado ao jornalista Arthur Monteiro, mestre e amigo hoje radicado em Brasília, que me contou este episódio, do qual foi o protagonista.