MENDONÇA, A BOLA, O BOTA E O MUNDO

por Leandro Costa

500ddc35-6110-49f5-a8e4-b5bdb5a8dfbf.jpeg

A paixão de Mendonça pela bola veio de berço. Filho do ex-zagueiro do Bangu, também conhecido como Mendonça, Milton da Cunha Mendonça iniciou sua carreira, aos 12 anos, no dente de leite do alvirrubro mas logo transferiu-se para o Botafogo, onde chegou aos 13 anos, em 1969, para marcar seu nome na história do Glorioso. Muitas pessoas pensam que Mendonça não conquistou nenhum título de expressão pelo alvinegro, ledo engano. Mendonça foi Campeão Mundial Juvenil em Croix, na França, em 1973, campeonato oficial, organizado pela FIFA, defendendo o seu amado Botafogo.

O meia, aos 17 anos, foi um dos principais destaques da equipe. A competição contou com os seguintes participantes: Nancy, Nantes e Iris, todos da França, Milan (Itália), Glasgow Rangers(Escócia), Benfica (Portugal), Schalke 04 (Alemanha), Legia (Polônia), Anderlecht (Bélgica), Ajax (Holanda) e Dynamo de Kiev (União Soviética).

Confira abaixo a campanha do alvinegro carioca: 

Fase classificatória:

Botafogo 1x0 Nancy (Gol: Antônio Carlos) 

Botafogo 1x1 Schalke 04 (Gol: Tiquinho)

 

Semi-final:

Botafogo 0x0 Milan (3x0 em escanteios)

Final (11/06/1973):

Botafogo 2x0 Dynamo de Kiev (Gols: Tiquinho (2), na prorrogação).

Os campeões:

1. Zé Carlos - José Carlos Pessanha

4. Nei Barros  - Antônio Carlos de Oliveira Barros

2. Carlinhos 

3. Bruno Ferretti

6. Dodô - Salvador Jerônymo da Silva

5. Luizinho Rangel - Luiz Ronaldo Nunes Rangel

8. Mílton da Cunha Mendonça

7. Leônidas 

9. Sérgio 

10. Antônio Carlos Araújo de Figueiredo

11. Tiquinho - Onofre Aluízio Batista

12. Júnior (goleiro) 

13. Róbson Peres do Nascimento (zagueiro-central) 

14. Mário (volante e zagueiro-central) 

15. Letinho (ponta-de-lança)

16. Severino (ponta-de-lança)

Técnico: Manoel dos Santos Victorino (Neca)

 

IMG_3091.jpeg

Mendonça se profissionalizou no alvinegro em 1975 e jogou até 1982. Viveu boa parte do incômodo jejum de 21 anos sem títulos no futebol profissional, apesar de participar de grandes times do alvinegro, como por exemplo, o time de 1977/1978 que possui a maior invencibilidade do futebol brasileiro: 52 jogos, ao lado rival da Gávea e também do time que eliminou o rubro-negro nas quartas-de-final do Brasileiro de 1981, quando marcou o histórico gol “Baila Comigo”. 

Dono de uma rara categoria, simbolizou a esperança de toda uma geração de Botafoguenses. Hoje ele nos deixa no plano físico para entrar no panteão dos imortais botafoguenses. 

Ídolo, craque, imortal, Campeão Mundial Juvenil. Nada significava mais para Mendonça do que o título de: Mendonça do BOTAFOGO. Como ele mesmo declarou, não era jogador do Botafogo, era torcedor do Botafogo. 

 

Fontes de consulta:  

Site: http://rsssfbrasil.com/miscellaneous/botaout.htm#croix

Site: http://www.melhoresdabase.com.br/noticias/botafogo-campeao-infantil-do-torneio-de-croix-de-1973.html