JOGOS INESQUECÍVEIS

Palmeiras 1 x 2 Internacional de Limeira (Final do Campeonato Paulista de 1986)

por Mateus Ribeiro

f1.jpg

A Internacional é um dos maiores orgulhos do povo limeirense. Um dos motivos desse orgulho é a conquista do título paulista de 1986, que pode ser considerada uma das maiores e mais surpreendentes conquistas do futebol brasileiro.

Já se passaram trinta e dois anos, e o caneco levantado de forma inédita sempre é assunto em qualquer roda de conversa na cidade. Os mais velhos contam como foram aqueles dias, e a grande maioria jura que estava no estádio. Inclusive, me arrisco a dizer que a final do Campeonato Paulista de 1986 tenha registrado o maior público do futebol mundial, uma vez que todo mundo que eu converso na cidade diz que foi para o Morumbi na mágica noite de 03 de setembro. Quanto aos mais novos, esses vivem perguntando aos mais velhos como foi vivenciar tamanho momento. Eu mesmo, que no dia da final completava exatos nove meses de vida, só vi a final por vídeos (infelizmente), e ouvi muito dos mais velhos sobre toda a atmosfera que a cidade vivia.

A Inter fez uma campanha sensacional nos dois turnos do Campeonato. Foi o time que mais venceu, e o que menos perdeu. Se somar as semifinais e as finais, foram 42 jogos, sendo metade deles com vitórias, e apenas sete derrotas. Nas semifinais, o time comandado por Pepe passou pelo Santos. Além do lendário treinador, o Leão contava com Bolívar (pai do zagueiro que fez sucesso anos depois no Internacional de Porto Alegre), o goleiro Silas, Gilberto Costa, além da infernal dupla de ataque formada por Kita (in memoriam) e Tato.

f2.jpeg

Do outro lado, o Palmeiras, que apesar de estar passando por um longo jejum, era favorito.  O Verdão havia eliminado o Corinthians na seimfinal, e tinha a missão de vencer a "Dinamarca do interior" para colocar fim ao amargo período sem títulos.

A primeira partida teminou sem gols. A segunda, como era de se esperar, contou com uma pressão grande por parte do Palmeiras. A Inter, obviamente, tentava primeiro se defender, e depois atacar.

Após um primeiro tempo sem gols, no segundo tempo as coisas ficaram mais calmas para o Leão da Paulista, que marcou dois gols em menos de cinco minutos. O que era impossível parecia realidade. E o tempo foi passando, o Palmeiras pressionava, mas Silas parecia estar em um dia abençoado. Kita teve duas chances de matar o jogo, mas desperdiçou, aumentando a angústia dos milhares de limeirenses que acompanhavam a partida. Amarildo ainda descontou para o Palmeiras, dando um pouco mais de esperança para os palmeirenses.

f4.jpg

Apesar da pressão exercida, o Palmeiras não conseguiu empatar a partida. Aos 48 minutos do segundo tempo, o lendário Dulcídio Wanderley Boschillia ergueu seus braços. Fim de jogo, começo da história. A Internacional de Limeira se tornava a primeira equipe do interior a conquistar um título paulista.

O título é gigantesco, tanto para a Inter, quanto para o futebol do interior, ambos tão judiados por federações e administrações ruins, que conseguiram manchar histórias tão bonitas.

O time comandado por Pepe é referência até os dias de hoje. Não é fácil passar por todos os obstáculos que a Inter passou (e passou com toda a classe possível, é bom que se diga). E uma campanha tão bela como a da Inter merecia ser coroada com um duelo tão grandioso. Ser um clube pioneiro, e conquistar a taça em cima de um gigante do futebol brasileiro torna tudo ainda maior. O Davi venceu o Golias.

f3.jpeg

Hoje é quase impossível sonhar com um time do interior vencendo um Paulista, tanto que tivemos apenas o Bragantino e o Ituano conseguindo essa proeza até os dias atuais.

A cidade de Limeira, que faz aniversário dia 15 de setembro, ganhou um belo presente. Presente que foi, é, e sempre será celebrado.

Obrigado, Internacional de Limeira!

E você, quais lembranças tem desse jogo?

Um abraço e até a próxima.