JOGOS INESQUECÍVEIS

Flamengo 0 x 2 Santo André (Final da Copa do Brasil 2004)

por Mateus Ribeiro

s1.jpg

Maracanã, 30 de junho de 2004.  Mais de setenta mil torcedores lotaram o maior palco futebolístico do mundo, no intuito de comemorar mais um título do time do coração. Porém, uma das coisas que torna o futebol legal é a chance do improvável. E naquele dia, o improvável apareceu, para tristeza de uns, e alegria de outros.

A final da Copa do Brasil de 2004 reservou para a final um duelo entre Davi e Golias. O fato do local do jogo ser o maior do mundo deixou tudo com contornos épicos.

O Flamengo, obviamente, era cotado como favorito. Porém, o Santo André vinha de uma ótima campanha, e havia eliminado grandes clubes do futebol brasileiro, como Goiás, Guarani e Atlético Mineiro. Contra o gigante Palmeiras, uma classificação inesquecível. Nas semifinais, eliminaram de maneira épica o também surpreendente 15 de Novembro-RS, treinado pelo então novato Mano Menezes. Apesar de todo o favoritismo, não dava para brincar em serviço.

s5.jpg

A primeira partida, disputada no Palestra Itália, terminou em 2 a 2, um ótimo resultado para o Flamengo, que levaria o título se não tomasse gols.

Chega então a noite do dia 30 de junho, e o Maracanã estava tomado por uma multidão flamenguista, que contrastava com a pequena, mas presente, torcida do Ramalhão.  Mesmo que não fosse o time endinheirado de hoje, o favoritismo era todo do Flamengo, comandado por Abel Braga, que também não era o técnico venerado e disputado dos dias atuais.

Porém, como sabemos, favoritismo não ganha jogo. Sabendo disso, o Santo André jogou com extrema valentia, inteligência e cautela. Conforme o tempo passava, além de segurar o empate sem gols (o que de certa forma, era uma boa), o Santo André conseguia deixar a torcida do Flamengo nervosa, o que de certa forma, contagiava o time carioca.

s2.jpg

O primeiro tempo, que foi um tanto quanto morno, terminou sem gols, e deixava tudo aberto para a etapa final. As jogadas do Flamengo não rendiam muita coisa, e o Santo André continuava a sua saga de "jogar por uma bola" (que ultimamente, se tornou um dos termos mais utilizados por comentaristas quando não sabem o que falar).

De fato, essa bola veio, no início do segundo tempo. Élvis bateu escanteio na cabeça de Sandro Gaúcho, que nem fez muito esforço para abrir o placar. Um a zero para o Santo André, resultado pouco esperado.

Alguns minutos depois, o sonho do time do ABC paulista tomava contornos de realidade, quando Élvis desviou cruzamento de Osmar. Dois a zero no placar, e desespero dos mais de setenta mil flamenguistas presentes no Maracanã.

s3.jpg

O Rubro negro carioca tentou de todas as formas, mas não conseguiu diminuir o placar, ou empatar a partida. Com o apito final de Carlos Eugênio Simon, o Santo André fez o que somente Frank Sinatra, o Papa João Paulo II e Ghiggia tinham conseguido fazer: calar o Maracanã.

Pela primeira vez, o Santo André conquistou a Copa do Brasil. Um dia para a história!

E você, quais lembranças guarda desse jogo inesquecível?

Um abraço, e até a próxima!