JOGO SOLIDÁRIO

entrevista: Sergio Pugliese | fotos: Guillermo Planel | edição de vídeo: Daniel Planel

No último fim de semana, a convite do parceiro Bris Belga, a equipe do Museu da Pelada marcou presença no Estádio das Laranjeiras por uma causa nobre: jogo solidário para a família do craque Gilson Gênio. Com uma linda história pelo Fluminense, o ex-jogador trava uma verdadeira batalha contra o câncer.

(Foto: Marcelo Tabach)

(Foto: Marcelo Tabach)

Organizador do evento, Bris Belga disse ter ficado comovido com a matéria feita pelo Museu na casa de Gilson e agradeceu a presença de todos nas Laranjeiras.

- A partida foi um pedido do Gilson, quando soube que o câncer tinha voltado, para os filhos verem a história que ele construiu nas Laranjeiras.

Além disso, ao ser perguntado sobre a falta de gratidão aos jogadores do passado, Bris não mediu as palavras.

- A nova geração não respeita quem fez a história do futebol neste pais. Não somos pentacampeões por acaso.

Testemunha auricular e ocular da história do futebol, como ele próprio se define, o parceiro José Dias também marcou presença e enalteceu os craques do passado. Entre esses craques, claro, estava Zico.

Em um daqueles momentos que ficam eternizados na nossa memória, o Galinho pisou no gramado das Laranjeiras vestindo a camisa do América. Antes, no entanto, não deixou de enaltecer o gênio tricolor.

- Era melhor jogar a favor do que contra. Tive a oportunidade de jogar ao lado dele na seleção carioca e, com o dinheiro da arrecadação, conseguimos comprar a primeira Sede do Sindicato dos Atletas Profissionais

No fim da resenha, Sebastião Lazaroni surgiu e fez questão de lembrar seus tempos de boleiro:

- Eu era aquele goleiro peladeiro mesmo! Jogava torneio com mais de mil times de bairro inscritos!

Só Gilson Gênio mesmo para reunir tantas feras!  Estamos na torcida por você, amigo!!

Sergio Pugliese, Daniel Planel e Guillermo Planel

Sergio Pugliese, Daniel Planel e Guillermo Planel