JOGOS INESQUECÍVEIS

por Mateus Ribeiro

Manchester United 1 x 6 Manchester City (Campeonato Inglês 2011/2012)

A nona rodada do Campeonato Inglês 2011/12 tinha como principal jogo o derby de Manchester, que seria disputado no domingo, dia 23. Porém, o clássico já havia começado um pouco antes.

tevez.jpg

Vamos aos fatos: na quinta feira, dia 20, um caminhão passou pelas ruas da cidade para que os torcedores de ambos os clubes jogassem as camisas que Tevez usou pelas agremiações. Explica se: o atacante argentino estava afastado do elenco do time azul, e parecia não ligar muito pra isso, o que deixou os torcedores do City irritados. Como os do United já o odiavam pelo "simples fato" dele ter trocado os diabos vermelhos pelo rival, uma empresa (que patrocinva o time vermelho) resolveu disponibilizar um caminhão (que tinha um lado azul, e outro vermelho) para que torcedores das duas equipes jogassem fora as camisas com o nome e o número de Tevez. Quem jogasse as camisas, receberia em troca um sem o nome e sem o número. Carlitos havia virado o inimigo público nº 1 da cidade.

E se você acha que acabou por aí, calma que tem mais. No sábado, o sempre tranquilo e nada polêmico Balotelli escapou ileso de um incêndio em sua casa. A causa? Fogos de artifício foram acesos NO BANHEIRO da casa do italiano. Quem nunca fez isso?

Voltando a falar do jogo em si, de um lado um clube gigantesco, acostumado a grandes conquistas. Do outro, um recém milionário, que até anos antes era o primo pobre, e buscava afirmação. O jogo prometia ser um grande duelo. Mas não foi isso que se viu, como você pode presumir pelo resultado da partida.

balo.jpg

Logo no início, o City queria mostrar que a cidade não tinha mais um único dono. Após boa jogada no ataque, a bola caiu nos pés de Balotelli, que mandou para o fundo das redes, e não perdeu a chance de tripudiar. Na comemoração, levantou a camisa, para exibir outra, com a mensagem "Why Always Me?" ("Por que sempre eu?"), em alusão ao fato dele sempre estar envolvido em alguma polêmica. Dica: se existe alguém que não conheça o histórico da fera, recomendo uma busca no Google. Diversão garantida.

O segundo tempo foi um massacre. O time de Roberto Mancini voltou com tudo, e em menos de 25 minutos, já havia marcado mais dois gols (um com Balotelli e outro com Aguero) e estava com um jogador a mais, já que Evans havia sido expulso por fazer falta no nome do jogo até então (caso você tenha alguma dúvida, estou falando de Balotelli).

Naquela altura, apesar de existir tempo, o Manchester United parecia não ter forças para reagir. Até que Fletcher descontou com um lindo gol, aos 35 minutos. Seria um final bom para o City, e 3 a 1 ficaria de bom tamanho para o United, que não viu a cor da bola durante grande parte do jogo. Mas ainda havia tempo suficiente para mais...

pla.jpg

O relógio, sempre tão amigo de Alex Ferguson, resolveu pregar uma peça aquele domingo. Aos 44, Dzeko marcou mais um, o que já caracterizaria um vexame de proporções épicas. Porém, tinha tempo para mais. E David Silva, aos 45, marcou o quinto. Como desgraça pouca é bobagem, Dzeko arrumou tempo suficiente para dar o último golpe. SEIS A UM para os visitantes.

O time azul de Manchester igualou a maior goleada da história do clássico (o outro 6 a 1 havia sido aplicado em 1926, sendo o City o vencedor), e dava um recado: definitivamente, estava se firmando entre os gigantes ingleses, fato que se consolidou anos depois. Se faltava uma atuação de gala, um jogo grande, já não faltava mais. Azar do United, que no final da temporada ainda teve que aguentar os rivais (que até outro dia não tinham tanto dinheiro, nem tantas glórias) comemorando o título, após décadas de jejum.

Para deixar a situação mais amarga para os diabos vermelhos, até os últimos minutos da rodada derradeira, o City estava deixando a taça escapar, e consequentemente, o United estava a recebendo de mão beijada. Mas Dzeko e Aguero marcaram dois gols nos últimos minutos, e fizeram a alegria de torcedores mais novos e mais velhos, muitos deles que nunca haviam visto o clube ser campeão inglês.

Se hoje o City é uma das maiores potências da Inglaterra (ainda busca espaço no cenário europeu, é verdade), muito disso passa por esse jogo. E não existe cenário maior do que a casa do rival para aplicar uma goleada tão emblemática. Azar do United, sorte do City.

E você, quais as memórias que você guarda dessa partida?

Um abraço, e até a próxima!