INTER DE LIMEIRA 1986

por Marcelo Mendez

IMG_6275.jpeg

Não dá para falar de 1986 sem pensar no que aconteceu naquele setembro, naquele dia 03, na noite em que tudo aconteceu.

De repente, o Brasil descobriu que no interior de São Paulo existia a cidade de Limeira, que por lá se jogava futebol, que um time havia sido formado e que aqueles caras estavam voando no Campeonato Paulista.

Quando Dulcidio Wanderlei Boschi lia apitou o final daquele jogo, a dor que doeu no Palmeiras durou muito tempo, mas não estamos aqui para tratar da dor alheia. Viemos para falar de um Esquadrão que veio do interior...

Senhoras e senhores, o ESQUADRÕES DO FUTEBOL BRASILEIRO traz hoje a Internacional de Limeira de 1986. 

SEU MACIA EM LIMEIRA

A história de tudo que rolou começou com a montagem do time.

IMG_6276.jpeg

Contando com a grande ajuda do Prefeito Jurandyr Paixão de Campos Freire, a Inter de Limeira teve tempo de pensar uma equipe forte para poder disputar o parrudo Campeonato Paulista. De primeira, vem a contratação de Pepe, o Seu Macia, o lendário Pepe, multi campeão pelo Santos, um dos maiores jogadores da história do futebol mundial que agora se firmava como treinador.

A partir de sua chegada a Inter aproveita os bons jogadores do interior, casos de Juarez, João Luiz, aliado aos jovens Tato, Lê, Pecos, e mais um arsenal de jogadores experientes, com passagens por vários clubes. Casos de João Batista (ex-meia da Portuguesa), Bolivar (Zagueiro, ex-Grêmio, Portuguesa, etc..) Manguinha (Ex-Guarani, onde foi campeão brasileiro em 1978), Gilberto Costa (Ex-Santos), Kita (Ex-Juventude e Internacional) e Silas (Goleiro, ex-Santos).

IMG_6277.jpeg

Com todo esse time azeitando a máquina, a Inter fez um segundo turno primoroso, terminando em primeiro lugar com duas rodadas de antecedência. Na semifinal, duas vitórias em cima do Santos, 2x0 na Vila Belmiro e 2x1 em Limeira. Faltava apenas a hora da glória e ela veio... 

DIA DA GLÓRIA

Na verdade, a Inter já tinha feito uma grande partida no 0x0 da primeira decisão. Na noite de quarta-feira, com 105 mil Palmeirenses no Morumbi, aquele time que tinha voado no segundo turno tinha a certeza absoluta que faltava pouco, bem pouco. Uma obrigação quase protocolar.

IMG_6278.jpeg

O time de Pepe se segurou bem na pressão do começo do jogo sem quase sofrer sustos. Passou todo nervosismo para o Palmeiras que não vencia títulos há 10 anos e foi tocando o jogo. Na segunda etapa, quando Kita abriu o placar, ninguém mais se surpreendeu. O mesmo com Tato ampliando. O Palmeiras diminuiu, mas já era.

O ano de 1986 sacramentou a conquista de um time que se firmou por excelência e por querer jogar um belo futebol.

Esquadrões do Futebol Brasileiro homenageia este timaço. Inter de Limeira, campeã paulista de 1986.