FALTA JOÃO

:::::::: por Paulo Cezar Caju ::::::::

 (Foto: Nana Moraes)

(Foto: Nana Moraes)

E bastou chegar ao calçadão para um torcedor disparar: “PC, como o João Saldanha comentaria o futebol de hoje?”. Kkkkkkkkkkkkkkk!!!! Dessa eu tive que gargalhar!!! Olha, o Saldanha se excedia além da conda e pegou pesado em algumas situações, mas era uma figura maravilhosa.

Se nos áureos tempos ele fumava 40 cigarros por dia, hoje em dia, com certeza, triplicaria o nível de nicotina no pulmão. Tenho certeza que, de 94 para cá, ele ficaria com calos nos pés de tanto chutar o balde. Mas acho mesmo é que ele viveria só para curtir seus cavalinhos, sua segunda paixão, e desistiria do futebol.

Alguém me enviou outro dia sua primeira coluna publicada na revista "Placar". Ele reclamava da ausência de pontas. Saldanha, sabe como é hoje? Os jogadores não malham mais pernas, acredita? A onda, agora, é deixar os braços fortinhos para, na cobrança de lateral, conseguirem arremessar a bola dentro da grande área, kkkkkk!!!

Mas se não for dessa forma como a bola chegará ao centroavante? Centroavante? E quem precisa mais dessa peça? Teve um jogo outro dia em que o técnico do Vasco, tirou o artilheiro e colocou um zagueiro. Saldanha, os zagueiros e volantes estão comandando o espetáculo e já chegou a hora de ganharem a Bola de Ouro como os melhores do mundo.

Vocês viram Vasco x Santos, que horror!!! Ah, João, agora quando o jogador é substituído, a TV mostra quantos quilômetros ele percorrer, kkkkkk!!!! Mas quem tem que correr não é a bola?

 João Saldanha

João Saldanha

O Rogério Ceni trouxe dois estrangeiros para ajudá-lo na formação do São Paulo, mas passou o tempo se explicando nas coletivas e apresentando números, estatísticas, posse de bola, blá blá blá. Na última, reclamou até da distância da barreira. O Zidane antes de assumir o Real Madrid passou dois anos treinando o time B, depois foi auxiliar do principal. Os técnicos brasileiros parecem estar brincando de bonequinhos e casinhas. Rabiscam e desenham em suas pranchetinhas. Só faltam os lápis de cera coloridos. Futebol virou totó com um monte de jogadores engessados dando bicudas na bola.

João Saldanha colocou Tostão para jogar com Pelé e foi criticado, João Saldanha batia boca com presidente da República. Hoje, o profissional um dia está no Bom Senso criticando a CBF e no outro vira técnico da seleção e não abre mais o bico. O que falta no futebol de hoje é arte, mas, acima de tudo, falta atitude, falta João Saldanha.