EU ACREDITO NO NOSSO FUTEBOL

texto: João Pedro Planel | fotos: Guillermo Planel

João Pedro Planel - Museu da Pelada.jpg

Tenho 13 anos, moro no Rio de Janeiro e sou apaixonado pelo futebol e pelo estudo. O meu avô também era como eu e o futebol dominava parte de seu coração. Minha família, parte alvinegra, parte rubro-negra, influenciou a escolha inicial do meu time. Fui flamenguista por quase toda minha infância, mas quando vi e ouvi a história que o Botafogo guardava, foi amor à primeira vista; Garrincha, Nilton Santos, Didi, Quarentinha, Túlio Maravilha, Loco Abreu, PC Caju, Era de Ouro e muito mais. O jeito botafoguense é diferente; sofremos muito, mas estamos sempre de pé. Por isso, desde então, sou alvinegro de paixão, mas confesso que sempre tive uma quedinha pelo mais tradicional Alvinegro do Brasil.

O que me deixa triste, no entanto, é que o antigo futebol está cada vez mais próximo do fim. Se hoje você perguntar para um moleque quem foi Roberto Dinamite, PC Caju, Zagallo, Rivelino, ele provavelmente não vai saber. Tal como o jeito de torcer; enquanto uns largam, outros torcem.

Tudo isso é consequência da "evolução" do futebol e o esquecimento do futebol brasileiro. Os jovens de hoje com certeza vão torcer muito mais para o Real Madrid do que para o time do coração, assim como vão idolatrar o Messi, mas não vão ter nem ouvido falar do Ronaldo Fenômeno. E no futuro, qual vai ser a inspiração para os jogadores? Kane? Não, vai ser o Pelé, o Bruxo, Ronaldo, Garrincha, Zico, PC Caju.

 João Pedro Planel e PC Caju

João Pedro Planel e PC Caju

É por isso que temos que imortalizar essa época do nosso futebol. De que jeito? Divulgando a história do futebol brasileiro tradicional. Principalmente através das mídias digitais, televisivas e impressas. Por tudo isso, amigos, vamos pesquisar e questionar antes de falar e formar. Caso contrário, o futebol "raiz", como a velha guarda conhece, estará, por uma, mas não menos importante, parte destruída. Eu acredito no nosso futebol, não vamos esquecer do passado!