CRAQUES INESQUECÍVEIS

Dener e a dúvida eterna: Até onde ele poderia chegar?

por Mateus Ribeiro

d1.jpeg

Dener Augusto de Sousa, ou apenas Dener. Um grande talento do futebol brasileiro. Infelizmente, um talento que não conseguimos apreciar por muito tempo.

Dener, que hoje pode ser considerado um anjo, era um demônio nos gramados. Arisco, veloz, driblador. Como dizem na gíria, Dener era liso. Muito liso.

De tão bom de bola que era, Dener conseguiu arrancar aplausos de ninguém menos que Maradona, desacostumado a reconhecer os feitos alheios.

Vimos Dener pouco tempo. E revendo seus lances, cria-se a impressão de que todo o tempo do mundo não seria suficiente. Dener conseguia reunir habilidade e velocidade como poucos. Tudo isso temperado com uma dose grande de malandragem.

d2.JPG

O craque da Lusa é a ilustração perfeita do futebol moleque, que tanto caracterizou o Brasil tempos atrás. Seu gol marcado contra o Santos mostra tudo isso: a rapidez, a facilidade de driblar, e a malandragem para se livrar do zagueiro com uma falta (que o árbitro não marcou, mas deixa pra lá).

Dener era humano. Mas não parecia.

Talvez foi cedo demais para encontrar Garrincha, e ver quem era o melhor no mano a mano.

Talvez partiu antes da hora para que tantos deuses do futebol que já se foram pudessem ver de perto todo o seu talento.

Infelizmente, nós, meros mortais, ficamos apenas com as lembranças, a saudade, e a eterna dúvida: onde Dener poderia chegar?

Você arrisca um palpite?

Um abraço, e até a próxima