CADÊ O SAL????

:::: por Paulo Cezar Caju ::::

Sem mentiras, por favor, você ficou acordado para assistir Brasil x Panamá? Viu Faustão, viu Fantástico e estava ligadão no início do jogo com seu potão de pipoca no colo? Parabéns, você é um herói!!!! Ficar acordado para ver Luiz Gustavo e Gil, não dá!!!! Não vou nem falar sobre futebol, mas de carisma. Esse grupo é sem sal, muito sem sal. E pipoca sem sal, não dá!!! 

Fico me perguntando cadê o sal???? Será que essa rejeição é porque praticamente todos jogam fora do país e a torcida brasileira não se acostumou a vê-los em seus times? Antes do jogo assisti uma entrevista do Dunga. Sisudo, desconfiado e de poucas palavras. Talvez por não ter Gilmar Rinaldi por perto para defendê-lo, como aconteceu, pateticamente, no “Bem, Amigos”. 

Na seleção, o melhor disparado é o Phillipe Coutinho, sobra na turma, mas também talvez seja o mais tímido e isso pesa contra num grupo liderado por Dunga. Faltam jogadores de personalidade, como um Gérson, em 70, um Sócrates, um Romário. O Neymar está longe disso, muito individualista, crianção. 

Brasil x Panamá, realmente um teste e tanto. Deve ter servido para experiências revolucionárias!!! Os adversários mais pareciam jogadores de basebol. E o pior de tudo é que você vê o Brasileiro e dá de cara com o Grafite, artilheiro do campeonato. O da Série B é o Nenê. Dois trintões, renovação zero. Aí, na, rua alguém grita: “Mas PC, o Nenê não é melhor do que o Kaká?”. Dei uma risadinha semi simpática, acelerei o passo e respondi que na fase atual talvez o Nenê faça menos Kaká. Ele riu e disse que iria compartilhar. É, o povo está se contentando com pouco, melhor deixar tudo como está.

– texto publicado originalmente no jornal O Globo, em 1 de junho de 2016