A PELADA PROIBIDA

por Wesley Machado, de Campos dos Goytacazes

Tinha dois bons motivos para não ir à pelada deste domingo. O primeiro que o jogo do meu Botafogo era pela manhã e deveria me concentrar para a partida que marcaria a volta do Fogão à Série A. O segundo motivo era que minha filha, que está fazendo catecismo, queria que eu a levasse na missa. Olhem como age a Igreja Católica. "Apreenderam" a bíblia que dei a ela, com a desculpa de que o padre iria benzer. E só devolveriam a bíblia se a criança fosse na missa. Absurdo. Mas tudo bem, não deixarei de ser católico por isto. Muito pior são as igrejas evangélicas.

Apesar da idade avançada, o craque continua brilhando nas peladas (Foto: Wesley Machado)

Apesar da idade avançada, o craque continua brilhando nas peladas (Foto: Wesley Machado)

Dizem que política, futebol e religião não se discute. Ultimamente até que estamos debatendo bastante sobre política. Pelo menos para isto o processo de impedimento serviu. Já falei de religião. Agora é a vez do futebol. Porque a pelada deste domingo foi a mais falada até agora. Cheia de polêmicas, como pode e deve ser o futebol. O time verde vinha tirando onda de que ganhava todas. E resolvi contratar um reforço para o meu time. Tratava-se de Check, a Lenda, o artilheiro dos 5 mil gols! Check é gol certo. E o mais incrível é que ele tem 60 anos, completados no início de 2016.

Chamei Check como convidado da Pelada Antigos Craques. A galera, que disse que a pelada já estava fechada, não deu muita bola. Não deram nada pelo coroa. "Esse Wesley - devem ter pensado -, mais um coroa? Depois do setentão Amaro Furacão, agora o sessentão Jocelino Check"? Sim, o nome e o apelido dele são em homenagem ao ex-presidente do Brasil. E foi com uma camisa amarela, com o escudo do Americano, time para qual Check torce em Campos (RJ), que ele jogou. E valeu o investimento. Uma banana e meia e um gole de guaraná natural. Check marcou dois gols decisivos que ajudaram o meu time a vencer.