A PELADA DE SÁBADO

Com o intuito de inspirar a rapaziada a jogar peladas semanais com os amigos, o parceiro Rodrigo Poppe, do Rio de Janeiro, fez um vídeo muito bacana sobre o seu racha, no Clube Federal, no Alto Leblon.

O curioso é que havia dois grupos que jogavam em horários diferentes no antigo Itanhangui, da Barra. Quando o Itanhangui deixou de existir, os dois grupos se juntaram e passaram a jogar no Santa Mônica, em 1999. Depois do Santa Mônica, a bola passou a ser rolada no Clube Riviera e, por muito pouco, a pelada não "morreu".

O drama dos boleiros começou quando o presidente do Clube Riviera disse que não alugaria mais o campo. Foi aí que Rodrigo Poppe entrou em ação. O grupo buscou um horário em algum campo do Rio de Janeiro e só encontrou três anos depois, no Clube Federal.

- No retorno, fiz dois jogos de colete: "Amigos do Beto" e "Amigos do Prentice". Pra minha surpresa, todos voltaram a jogar e hoje temos 35 boleiros entre 40 e 55 anos! - lembrou Rodrigo.

Embora tenham jogado em diversos campos do Rio de Janeiro, todos apontam uma pelada como a mais importante de todas. Em 2002, os craques tiveram a oportunidade única de jogar no Maracanã. Em poucas palavras, Rodrigo definiu aquele dia:

- Foi a cereja inesquecível do bolo!

Tão importante quanto a bola rolando são as tradicionais resenhas que acontecem depois da pelada, sempre regadas à muita carne e cerveja. Além dos churrascos semanais, no fim do ano os amigos organizam uma linda festa!!

Em breve a equipe do Museu da Pelada vai conferir essa brincadeira de perto! Fiquem ligados!