A ESTRELA NÃO SE APAGARÁ

Quem nos acompanha sabe o quanto somos fãs do Mendonça e que não medimos esforços para retribuir, de alguma forma, todas as alegrias proporcionadas pelo craque dentro de campo.

De uns tempos para cá, o ídolo botafoguense vinha lutando para se livrar da dependência química e não há palavras para descrever o dia em que a fera calçou novamente as chuteiras para bater a pelada do Carlinhos Cortazio. Talvez um dos dias mais emocionantes da história do Museu da Pelada. E olha que não foram poucas as vezes que seguramos as lágrimas.

- Estou muito feliz! Eu me cuidei e hoje estou tendo ajuda para ter aquela força que eu já tive. Meu retorno tinha que ser aqui no Carlinhos Cortazio! - disse enquanto colocava os meiões com a ajuda de Jair Pereira.

- É sempre um prazer ver o nosso ídolo jogar! Qualidade é o que não falta e andamos preocupados - confessou Donizete Pantera.

Técnico dos bons tempos, Jair Pereira disse que sente falta dos craques diariamente:

- Eu fico olhando os jogos hoje e me pergunto: "Será que tem algum Mendonça em campo?". Com aquela alegria de jogar...

Sob aplausos, Mendonça entrou em campo e recebeu das mãos de Carlinhos Cortazio a camisa 10 da pelada.

- Eu não tiro a minha 10 por nada, mas para você é com a maior satisfação do mundo!

Acontece que quatro dias após essa alegria indescritível, o ídolo alvinegro sofreu um grave acidente após cair das escadas da estação de trem Guilherme da Silveira, em Bangu, e precisou ser internado.

Apesar do estado de saúde ainda inspirar cuidados, o craque evolui diariamente e a equipe do Museu não vê a hora do craque vencer mais uma batalha!

Força, Mendonça!