O SUBSTITUTO DO REI

entrevista: Sergio Pugliese | texto: Charles Garrido | fotos e vídeo: Daniel Planel 

Sendo um leitor assíduo da página Museu da Pelada, aquilo que sempre me chamou atenção foi o fato da mesma, preferencialmente, voltar seus olhos para aqueles que, infelizmente, hoje encontram-se esquecidos pela grande mídia. Porém, em um passado não muito distante, contribuíram sobremaneira, para o engrandecimento do esporte mais popular do nosso país.

Foi então onde percebi que esse seria o caminho ideal para prestarmos uma homenagem, sobretudo, fazermos uma retratação para um dos maiores “Camisas 9” do futebol brasileiro, na década de 80, o saudoso e inesquecível Luizinho das Arábias.

WhatsApp Image 2018-07-28 at 21.35.06.jpeg

De viagem previamente marcada para o Rio de Janeiro, e já pensando em unir o útil ao agradável, decidi perguntar ao jornalista Sérgio Pugliese, se haveria a possibilidade de gravarmos uma entrevista com a irmã do referido atleta, pois a mesma seria a pessoa ideal para narrar a trajetória desse grande personagem. A resposta foi imediata e mais do que positiva.

Aliás, coincidentemente, fui convidado a participar de um evento no Canto do Rio, onde o clube homenagearia o Gérson, o eterno “Canhotinha de Ouro”. Que privilégio poder estar ao lado desses vultos consagrados, pois além do homenageado, outros ex-jogadores fizeram-se presentes na ocasião.

Terminado o evento, tivemos a “árdua tarefa” de almoçar no Mercado do Peixe, em Niterói, onde deliciosos frutos do mar estavam à nossa espera.

Após o almoço, partimos para o bairro de Vista Alegre, onde a Sra. Vânia Duarte e o biógrafo Jackson Lacerda já aguardavam a nossa equipe.

Durante a gravação, a emoção tomou conta de todos que participaram com seus depoimentos.

Não há nada melhor do que a sensação do dever cumprido e, certamente, de agora em diante, fica registrada com mais ênfase, a história de um grande artilheiro, campeão em praticamente todos os clubes que defendeu e, sem sombra de dúvida, será sempre lembrado por aqueles que tiveram o privilégio de vê-lo em campo.

Para finalizar, não poderia deixar de citar o modo como fui recebido pelo meu grande amigo Sérgio Pugliese, cujo qual, considero um abnegado, sobretudo um guardião do futebol de outrem, já que o atual deixa muito a desejar. Faço também uma menção à sua equipe altamente competente, composta pelos profissionais: André Mendonça e Daniel Planel.

Um momento que jamais sairá da minha memória.

Museu da Pelada – Onde Todas As Torcidas Saem Satisfeitas.