A EXPLOSÃO

entrevista: Sergio Pugliese | texto: André Mendonça | vídeo e edição: Daniel Planel 

Uma arrancada fulminante, deixando três marcadores para trás, seguida de uma finalização no ângulo, em pleno Mineirão, apresentavam um jovem talento de Xerém aos brasileiros. Aos 18 anos, Lenny despontava como uma das maiores promessas do futebol nacional e a expectativa era inevitável.

lenny (1).jpg

Ninguém poderia imaginar, no entanto, que o atacante que vestiu as camisas de Fluminense, Palmeiras, Figueirense e outros clubes de menor porte penduraria as chuteiras pouco mais de uma década depois daquele golaço, aos 29 anos.

- Não acho que o futebol seja ingrato. Devo tudo a ele! (...) É claro que eu almejava muito mais, mas as lesões me atrapalharam muito! - admite o agora ex-jogador.

Embora tenha se aposentado do futebol profissional, Lenny está sempre batendo suas bolinhas por aí e não perde uma pelada de Carlinhos Cortazio, na Barra da Tijuca. O desempenho muito acima dos outros peladeiros e o físico em dia fazem com que os amigos insistam em seu retorno ao mundo da bola.

- Eu tenho uma academia e cheguei a fazer uns trabalhos específicos. Estou apto para jogar e conheço umas pessoas ligadas ao futebol que já me sugeriram. - revelou.

Enquanto não decide o seu futuro no campo, segue sua vida como empresário, administrando seus negócios sem deixar a paixão pela bola de lado.